Wikileaks delineia como Hillary Clinton obedeceu às ordens de seus mestres sauditas e transformou a Líbia num buraco infernal do ISIS

DCWhispers

Chama-se email tiquetaque, recentemente divulgado pelo Wikileaks. O email mostra o gabinete de Hillary Clinton delineando como ela deveria receber crédito total pelo que aconteceu na Líbia antes e depois da queda do regime de Kadafi — uma queda que resultou no sumiço de 1,5 bilhão de dólares enviados à Líbia por Hillary, a morte subsequente de quatro americanos, inclusive o primeiro embaixador americano a morrer em serviço em mais de trinta anos, e milhares de mortes enquanto a Líbia caia na anarquia.

E foi tudo feito depois que a Casa Saudita desejou que assim fosse feito — a mesma Casa Saudita que “doou” milhões para a Fundação Clinton e para a Campanha de Hillary Clinton.

Esses dos acima levaram à seguinte tragédia na Líbia:

E eis o email tiquetaque mostrando que Hillary queria muitíssimo crédito pela Líbia.

Desde que a Líbia caiu no caos e se tornou uma fortaleza do ISIS, a sra. Hillary e sua campanha não desejam mais discutir esse assunto…


Agora, eis um pouco da história sobre a qual a grande mídia não está dizendo quase nada. A razão para seu apagamento é simples — liga diretamente Barack Obama e Hillary Clinton e o que aconteceu com a queda da Líbia em 2011.

Durante anos, Kadafi e a Casa Saudita estavam envolvidos numa disputa antiga sobre quem era o representante verdadeiro e legítimo do poder islâmico no Oriente Médio — embora a disputa tivesse mais a ver com a influência crescente da Líbia na produção de petróleo. O petróleo líbio está entre os melhores do mundo, liderando um preço alto de dólar, um fato que não passou despercebido pela família real saudita que não apreciava a competição nessa questão.

Kadafi, diferente de outros líderes muçulmanos, estava disposto a desafiar abertamente a Casa Saudita, que estava muito unida com o governo dos EUA, um desafio que nesse vídeo foi recebido com a seguinte resposta do rei saudita:

“A mentira está diante de você, e o túmulo está na sua frente.”

 

Uns dois anos depois dessa altercação, Kadafi foi assassinado por meio de um esforço coordenado e financiado pelo governo de Obama e pelo Departamento de Estado de Hillary Clinton. O túmulo foi realmente colocado na frente dele — por Hillary.

A Casa Saudita tem desde então doado entre 10 e 25 milhões de dólares para a Fundação Clinton e continua a doar para a campanha de Hillary. Um artigo do Zero Hedge de semanas atrás indicou que os sauditas estão neste momento financiando aproximadamente 20% da campanha inteiro de Hillary para presidente.

A Casa Saudita queria eliminar Kadafi.

Hillary Clinton, como secretária de Estado, fez isso acontecer, criando o inferno do ISIS que agora é a Líbia.

Dezenas de milhões de dólares jorram na Fundação Clinton, e dezenas de milhões mais estão agora jorrando na campanha de Hillary — vindos da Casa Saudita.

Traduzido por Julio Severo do original em inglês do DCWhispers: WIKILEAKS Outlines How Hillary Clinton Did Bidding Of Her Saudi Masters & Turned Libya Into ISIS Hellhole

Fonte: http://www.juliosevero.com

Anúncios

SINÉDRIO ESCOLHE NOVO SUMO-SACERDOTE EM ISRAEL; TERCEIRO TEMPLO DEVERÁ SER CONSTRUÍDO AO LADO DE MESQUITA

Rabbi Baruch Kahane, shown here offering the Omer (barley) sacrifice to God in the heart of the Old City of Jerusalem, has been appointed as High Priest by the nascent Sanhedrin. (Photo: Abba Richman)

A escolha de um novo sumo-sacerdote foi um importante passo na preparação da construção do Terceiro Templo, em Jerusalém. O escolhido foi o rabino Baruch Kahane, um erudito nas leis relacionadas ao serviço no templo. Ele pertence ao Instituto Berurá Halacha, criado pelo rabino Avraham Isaac HaCohen Kook, e que se concentra na elucidação da lei judaica a partir de suas fontes talmúdicas (Lei Oral) e comentários.

O rabino Kahane tem desempenhado um papel importante em todas as reconstituições dos serviços do Templo já realizadas até hoje. Promovidas pelo Instituto do Templo, as cerimônias servem como uma espécie de “ensaio” para que tudo esteja em ordem após o novo prédio ser erguido.

A escolha do nome de Kahane ficou a cargo do novo Sinédrio. Seu porta-voz, o rabino Hillel Weiss, explicou a necessidade de se escolher um sumo-sacerdote, mesmo que não haja um templo. “Para tomar esta decisão relevante não precisamos de um acontecimento milagroso, como o aparecimento repentino de um templo descendo do céu”, declarou ao Breaking Israel News.

Segundo ele, “o único obstáculo que impede o culto no Templo, hoje, é a questão política [com os muçulmanos]. Se isso mudar, será necessário iniciar imediatamente os serviços religiosos no Templo”. Acrescentou ainda que “é preciso ter alguém preparado para desempenhar a função de sumo-sacerdote, especialmente agora que já temos pessoas capacitadas para isso”, acrescentou Weiss.

De acordo com o Breaking Israel News, o Instituto do Templo está confiante de que, assim que o serviço do Templo receber autorização para recomeçar tudo estará pronto em menos de uma semana. Este ano o Instituto criou um registro doskohanim [sacerdotes] que irão servir no local. Eles estão se preparando desde março e fizeram reconstituições em todos os feriados, incluindo o sacrifício da Páscoa.

O rabino Yisrael Ariel, fundador e líder do Instituto do Templo também é membro do Sinédrio. Ele diz que a escolha segue um mandamento divino. “Não é uma questão de opinião. Está escrito explicitamente na Torá [Antigo Testamento] e, como qualquer um dos outros mandamentos, temos de seguir. A escolha de um sumo-sacerdote e fazer todas as preparações é algo que independe do fato do Templo não estar em pé agora”.

Kohanim blowing silver trumpets in a reenactment of a Temple service. (Photo: The Temple Institute)
As preparações para o Terceiro Templo

Os 20 estudiosos do Talmude, que trabalham para o Instituto em tempo integral, elaboraram em detalhes todos os procedimentos seguindo as leis elaboradas cerca de 3.000 anos atrás. O Instituto afirma que já gastou mais de 30 milhões de dólares até o momento.

Para os judeus que estudam as profecias sobre o final dos tempos, a restauração dos sacrifícios rituais em Jerusalém é o início do processo de aparecimento do Messias esperado por eles. Para a maioria dos cristãos que estudam escatologia, o surgimento do Anticristo depende da restauração do templo e dos sacrifícios, segundo a interpretação de Daniel 9:27.

Existe uma divisão de opiniões sobre o Terceiro Templo. Uma corrente teológica defende que ele só será construído durante a Grande Tribulação. Outros acreditam que ele só estará de pé novamente durante o reino milenar de Cristo na Terra.Confira um estudo sobre o Terceiro Templo

Por  Jarbas Aragão – Gospel Prime

Elas foram estupradas por jihadistas, mas não querem abortar

Elas foram estupradas por jihadistas, mas não querem abortar

por Junior Oliver /GospelPrime

No noticiário internacional são recorrentes as manchetes relacionadas aos ataques covardes do grupo terrorista Estado Islâmico contra diversas minorias. Em um desses casos ficou destacado o sequestro de mulheres e meninas yazidi.

Em meio a tanta dor e incerteza, nada como o regresso para trazer felicidade. Porém, não é isso que tem ocorrido com as vítimas que escapam das garras do terror.

Durante o sequestro essas mulheres foram mantidas como escravas sexuais da milícia terrorista e quando conseguem retornar, muitas vezes estão grávidas. Para o líder local desta comunidade, Baba Sheikh, as vítimas devem ser recebidas sem julgamento tendo em vista o fato de vivenciarem uma experiência “fora do controle delas”. Contudo, a gravidez já não é vista desse modo.

“As vítimas são nossas filhas e irmãs, mas é inconcebível em nossa religião permitir o nascimento de qualquer criança cujos pais não sejam yazidis”, afirmou Baba em entrevista.

Ele ainda mencionou que essa situação não é aceitável na tribo e gera uma fonte de vergonha. “Se essas crianças nascerem, as pessoas não perguntariam quem seriam seus pais? Eles são afegãos? Eles são europeus?”.

Devido a essa situação, o aborto tem sido visto como uma solução. Mesmo a prática sendo ilegal no Iraque, ele é permitido em caso de estupro.

Mesmo com toda essa pressão as mulheres yazidi têm escolhido abdicar do aborto. De acordo com a advogada Rezan Dler, que tem acompanhado os casos das vítimas sequestradas pelo ISIS, não é incomum encontrar mulheres que foram estupradas que escolhem manter seus bebês.

“Uma mulher Yazidi que estava no oitavo mês de gestação quando escapou do EI, desejava manter seu filho, mas seu marido disse que se divorciaria caso ela não fizesse o aborto. O casal se separou e a mulher agora vive em um campo de refugiados com sua filha de 5 meses de idade”, compartilhou Dler.

O desejo de evitar o aborto é tão marcante que de acordo com a advogada, muitas mulheres afirmam que preferiram voltar ao sofrimento da escravidão do EI do que interromper a gestação.

Apesar de todo o esforço das ex-escravas do EI em manter seus filhos, a lei local iraquiana atrapalha o futuro das mulheres pró-vida. De acordo com o Juiz da Corte iraquiana, Xamosh Omar, as leis daquele país afirmam que as crianças que nascerem sobre essas circunstâncias serão tratadas como se tivessem nascido através do adultério, dessa forma, suas mães não teriam o direito de criá-las.

“Eu sou uma mulher e entendo o que as mulheres yazidi estupradas devem estar vivenciando. Mas, paro parlamento iraquiano, esse é um tópico vergonhoso para discussão. Eu duvido que eles permitam esse problema ser debatido”, concluiu Dler. Com informações Christian Today

Filme sobre perseguição aos cristãos é sucesso de bilheteria

Filme sobre perseguição aos cristãos é sucesso de bilheteria 

Por Jarbas Aragão / GospelPrime

O filme “The Insanity de Deus” [A Insanidade de Deus], que conta a história de perseguição aos cristãos em todo o mundo, não estará entre as maiores bilheterias do ano. Também não concorrerá ao Oscar no ano que vem. Mesmo assim, pode ser considerado um sucesso.

Baseado nas experiências de Nik e Ruth Ripken, cujo filho foi morto enquanto servia como missionários na África, o documentário entrevistou mais de 600 obreiros cristãos em 72 países. Ele mostra histórias de perseguição na África, Rússia, Ásia e Oriente Médio. Também revela como a igreja cristã continua crescendo mesmo sob grande pressão contrária.

O nome é uma referência ao que eles entendem ser, aos olhos humanos, uma “insanidade”. O diretor da LifeWay Films Trey Reynolds acredita que o longa poderá inspirar a igreja a orar mais pelos cristãos que são perseguidos. Ele também espera que o filme estimule os crentes a compreender a importância de se compartilhar o evangelho com outras pessoas enquanto há tempo.

“Eu olho para o que estes homens e mulheres passaram. Não negam a Cristo, mesmo quando sabem que isso pode lhes custar a vida”, ressalta Reynolds. “Sinto vontade de atravessar a rua para falar com o meu vizinho sobre Cristo e conversar com meus familiares que não são salvos. Essa é a pergunta que espero que as pessoas se façam: Jesus realmente vale a pena? Vou segui-lo por toda a minha vida, em quaisquer circunstâncias? ”

Devido a uma ação coordenada, na última quinta-feira (25), “The Insanity de Deus” chegou ao topo das vendas de ingressos no site especializado MovieTickets.com. Ele superou filmes de Hollywood como “Esquadrão Suicida”. O sucesso se explica por que igrejas fizeram compras coletivas, visando lotar os cinemas de fiéis.

O motivo é simples: o filme será exibido apenas um dia. Por causa das dificuldades de distribuição e falta de orçamento para divulgação, Reynolds explica que a estratégia visa causar impacto e gerar interesse de outras pessoas pelo documentário.

Raramente filmes com temática cristã são sucesso no competitivo mercado de cinema. “The Insanity de Deus” vai ser exibido nos cinemas norte-americanos somente na terça, 30 de agosto.

Serão 530 salas de exibição, enquanto a média de uma superprodução é mais de 2.000. No mês seguinte estará disponível para download e nos formatos DVD e Blu-Ray. Não há previsão para sua chegada ao Brasil. Com informações de Christian Examiner

Assista ao trailer:

JUDEUS PUTIN E NETANYAHU CONVERSAM SOBRE PROCESSO DE PAZ NO ORIENTE MÉDIO

Resultado de imagem para PUTIN NETANYAHU

Cometários por Libertar.in

Se houver sucesso neste processo de paz entre Israel e Palestina, o Terceiro Templo poderá ser construído ao lado da Mesquita de Omar, no monte do templo.

Vendo toda esta trama do judeu e ex-KGB, Vladimir Putin, me recordo daquela marchinha de carnaval: “Olha a cabeleira do Zezé; Será que ele é? Será que ele é?”

O presidente russo, Vladimir Putin falou por telefone com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, na terça-feira, 23/08, informou o serviço de imprensa do Kremlin, acrescentando que a conversa foi iniciada por Israel.

“Os líderes trocaram opiniões sobre questões do Oriente Médio e aspectos atuais da situação geral na região. Eles concordaram em prosseguir os contatos russo-israelense ativos em diferentes níveis”, disse o relatório.

Na quarta-feira, 17 de agosto, o ministro russo das Relações Exteriores Mikhail Bogdanov, representante especial de Putin para o Médio Oriente e África, discutiu as perspectivas para fazer avançar as negociações de paz entre palestinos e israelenses com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, em Amã. Bogdanov também entregou uma mensagem pessoal de Putin para Abbas.

O Ministério de Exterior russo mais tarde emitiu uma declaração dizendo que “as negociações foram significativas e confiantes. Os lados consideraram as perspectivas para o avanço do assentamento palestino-israelense em estrita conformidade com os princípios do direito internacional. Eles também discutiram a restauração da unidade nacional palestina junto com plataforma política da OLP projetado criar um Estado palestino independente, que iria viver em paz e segurança com os seus vizinhos, incluindo Israel “.

Para ser claro, em sua situação atual, a Palestina tem apenas dois vizinhos: Israel e Jordânia, por isso é um alívio ler que planejam viver em paz com ambos.

Entenderam mal o Montanismo? Uma apologia ao pentecostalismo!

Resultado de imagem para montanismo imagens

O Montanismo é classificado na História da Igreja como uma seita herética. O nome do movimento cristão é derivado do seu principal expoente ou fundador Montano. Mas os argumentos que encontramos para tal classificação do movimento como herético, são frutos de mal entendidos doutrinários e da própria ortodoxia da igreja que se baseou no tripé: Canon, Confissão de fé e Magistério, em oposição ao  Montanismo que se baseou  principalmente nas revelações e Dons do Espírito Santo, situação  muito parecida com o que é hoje o movimento pentecostal, do qual faço parte sendo membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus.

As críticas ao montanismo naquela época são semelhantes com as criticas feitas aos pentecostais hoje, principalmente pelo cessacionismo das igrejas evangélicas tradicionais que dizem que os dons e manifestações do Espírito Santo cessaram na época dos apóstolos. Aliás se podemos enxergar traços do pentecostalismo no inicio da Igreja, também podemos encontrar traços de cessacionismo e da predestinação nesse começo, o cessacionismo como já dito, da resistência em acreditar na ação do Espírito Santo na igreja pós-apóstolica e a doutrina da predestinação oriunda de um contexto pior ainda, que foi a influência herética maniqueísta no começo eclesiástico.

Esses fatos tornam o esquerdismo evangélico que está atrelado ao cessacionismo e a predestinação, tão danoso ou pior do que o catolicismo romano, que do tripé ortodoxo acima mencionado, acabou entrando em um pensamento circular de Tradição apoiando as Escrituras e as Escrituras apoiando a Tradição para justificar um monte de aberrações doutrinárias ao longo da história, mas que seus movimentos carismáticos atenuaram em parte, quando não negam e buscam a ação dos dons espirituais  na igreja de hoje.

Então, vamos aos fatos:

Montano foi um presbítero da região da Frígia em meados do século II. Na verdade, pouco se sabe sobre seu verdadeiro ensinamento, menos ainda sobre os detalhes de sua biografia. As principais fontes que falam sobre Montano são oriundas de seus oponentes católicos (entendam católicos como sinônimo de ortodoxia do inicio da igreja e não como católicos romanos), por isso temos que saber que existem distorções e exageros como toda história que na maioria das vezes é contada pelos vencedores. Por outro lado Tertuliano é uma grande fonte sobre o Montanismo, mas seus escritos também sofrem questionamentos, pois o mesmo era adepto do movimento.

Os montanistas produziram muitos escritos sagrados e originaram muitos escritos contra eles, mas a maioria desses escritos não nos foram legados. Nathanael Bonwetsch, apud Jaroslov Pelikan pg 114-115, definiu o montanismo a partir da fonte material existente, desta maneira: “Um esforço para moldar toda a vida da igreja de forma condizente com a expectativa do retorno de Cristo imediatamente à mão; definir a essência do verdadeiro cristianismo a partir desse ponto de vista e se opor a todas as condições por meio das quais a igreja tinha de adquirir uma forma permanente para o propósito de tomar posse de um desenvolvimento histórico mais longo” (Bonwestsch [1881], p. 139).

O montanismo não tinha relação com as religiões orgíacas da Frígia.

Há uma tese de que o Montanismo é originário das religiões pagas da Frígia. No entanto, um exame mais apurado das fontes feito por Wilhelm Schepelern, conclui que o montanismo surgiu em uma atmosfera impregnada das concepções apocalípticas do Cristianismo e do Judaísmo e não com ensinamentos das religiões de mistério.

A explicação para a  origem do montanismo parece estar no fato do esfriamento da igreja devido ao fortalecimento da política na mesma, o que fez diminuir as operações extraordinárias do Espírito Santo. A diminuição da esperança escatológica e o aumento do episcopado estatal indicam um processo de sedimentação já em voga na igreja do século II, fazendo que com muitos cristãos começassem a se ajustar à possibilidade de que a Igreja tivesse que viver no mundo por uma considerável quantidade de tempo ainda. Esse processo de sedimentação engatilhou o declínio em intensidade da freqüência das manifestações carismáticas tão proeminentes nos primeiros anos do cristianismo.

O pentecostalismo estava presente desde o início da Igreja Resultado de imagem para montanismo imagens

Assim como católicos romanos gostam de fazer o questionamento retórico (já bastante refutado) de querer saber onde estavam os evangélicos antes da Reforma Luterana, evangélicos tradicionais gostam de fazer o questionamento também retórico de querer saber onde estavam os pentecostais antes do avivamento de Wesley.

Visões, sonhos, revelações e a declaração de falar em nome do Espírito Santo foram diminuindo diante do processo de sedimentação da igreja já exposto neste texto, no entanto, se essas manifestações do Espírito se tornam escassas na laicidade, elas continuam no Clero, sobretudo entre os monges. Celso fala da presença de “profetas” na Fenícia e Palestina (ap. Or. Cels. 7.8 [GCS 3:160]). Justino Mártir fundamentou em parte seu caso contra o judaísmo na afirmação de que “entre nós ainda agora há carisma profético” (Just. Dial. 82.1; 88.1 [Goodspeed, p. 194; 201]), enquanto a manifestação havia acabado entre os judeus; e Irineu escreveu que muitos irmãos da igreja de sua época, falavam em línguas por meio do Espírito, revelando os segredos do coração dos homens e os mistérios de Deus (Iren. Her. 2.32.4[Harvey 1: 374 -75].

Observa-se, portanto, que a fala profética era comum tanto no montanismo como na igreja primitiva. É importante observar que o conteúdo das visões, revelações, profecias e sonhos não era doutrinal, mas ético. Tertuliano disse que o Paracleto tinha vindo para estabelecer uma nova disciplina, não um novo ensinamento (Tert. Jejun 1.3 [CCSL 2: 1257]). Hipólito e outros primeiro críticos do monanismo enfatizaram suas críticas mais no rigor moral do movimento dito herético do que em alguma suposta aberração teológica.

O Montanismo afirmava que os dons do Espírito Santo estavam ausentes já na igreja daquela época por conta da frouxidão moral dos dirigentes e membros. A igreja estava permitindo que viúvas e viúvos casassem novamente, o que segundo os Montanistas era proibido devido a passagem de 1 Timóteo 3.2, “Marido de uma só mulher”.  A igreja estava ficando relaxada na prática do Jejum, mas os montanistas insistiam que a consumação dos séculos exigia maior rigidez no jejum do que nunca. O montanismo em sua visão apocalíptica, chamava a igreja ao arrependimento, pois o fim estava bem próximo.

O Mal entendido e a acusação contra Montano

A partir de algumas fontes, parece provável que Montano, quando foi visto tomado pelo Espírito Santo, falou do Paracleto em primeira pessoa: “Eu sou o Senhor Deus que falo” (Epif. Haer. 48.11.1 [GCS 31: 233]). Didimo, o cego, transmitiu outro oráculo que tinha ouvido e fora atribuído a Montano: “Eu sou o Pai e o Filho e o Paracleto” (Did. Trin. 3.41 [PG 39:984]). Alguns críticos posteriores do Montanismo com base nessas afirmações extáticas de Montano disseram que o mesmo se identificava de maneira substancial com o Espírito Santo. Cirilo de Jerusalém escreveu: “Montano teve a audácia de dizer que ele mesmo era o Espírito Santo” (Cir. H. Cateq. 16.8 [Reischl-Rupp 2:214]).

Notamos claramente, que as críticas a Montano em se identificar com o Espírito Santo, não são exatas. As falas expressam o senso de passividade como um instrumento ou porta-voz do divino que é tão característico ao dom de profecias.

Maximila, uma das profetizas do movimento montanista, falou através do Espírito: “Eu sou a Palavra, o Espírito e o Poder” (Eus. H.e. 5.16.17 [GCS 9: 466]). Maximila não reivindicou essas características divinas para si mesma, mas para o Espírito que falava por seu intermédio.

O Montanismo como catalisador da Doutrina da Trindade

Parece realmente ter existido um grupo entre os Montanistas que concordavam com a heresia noetana que afirmava que o Pai é ele mesmo o Filho, e que ele experimentou nascimento, sofrimento e morte. Esse grupo tinha adotado a doutrina de que o Pai, o Filho e o Espírito Santo eram apenas modos sucessivos de manifestação do único Deus.

Seria um erro, no entanto, concluir que o montanismo implicava necessariamente a doutrina noetana. Ao contrário, a refutação mais poderosa contra essa heresia, veio do próprio montanista Tertuliano que atacou a doutrina da identidade entre o Pai e o Filho que alguns dos seus irmãos montanistas estavam usando como raciocínio teológico. Tertuliano foi o primeiro teólogo a usar a palavra Trindade em Latim. (Tert. Prax 3.1 [CCSL 2:1161]). As percepções montanistas de Tertuliano, ajudaram a igreja que no fim transcendeu sua fórmula e desenvolveu uma doutrina da Trindade mais sólida.

Resultado de imagem para montanismo imagensEnfim, o burocratismo da igreja relega a Profecia.

Hipólito ao admitir que a igreja não estava vivendo nos últimos tempos puxava o advento da segunda vinda para o futuro e puxava o tempo da profecia para o passado. Segundo ele, a profecia teria terminado com o apóstolo João, cujo Apocalipse, Hipólito sustentou ser a última profecia válida vinda do Espírito Santo (Hip. Antic. 47-48). Ao estabelecer a autoridade dos profetas bíblicos, tanto do Antigo quanto do Novo Testamento, Hipólito desmontou o centro do movimento montanista.

O montanismo se tornou obsoleto para a igreja que começou a encontrar conforto na tripla autoridade apostólica ensinada por Irineu. A profecia apocalíptica do Montanismo não tinha lugar em uma igreja que começa a ficar em paz com o Império Romano e com o próprio sistema mundano.

A igreja para validar sua existência não olhava mais para o futuro na espera da vinda do Senhor, nem para o presente, através do dos do espírito, mas se volta ao passado, para a composição do cânon apostólico, para a criação do credo apostólico e  estabelecimento da sucessão apostólica. E esse tripé se tornou o padrão da ortodoxia.

A ortodoxia da igreja, no entanto, nunca conseguiu apagar a chama do Espírito, que ao longo da história da Igreja esteve presente na experiência de monges e frades, de místicos e profetas, na religião secreta de muitos crentes e agora no grande movimento pentecostal que passou pelos morávios, pelos irmãos Wesley, pela rua Azuza, e é muito forte na grande Assembleia de Deus no Brasil.

Referência

A Tradição Cristã. Uma história do desenvolvimento da doutrina. Jaroslav Pelikan

JORNAL AFIRMA: VLADIMIR PUTIN É JUDEU

Resultado de imagem para vladimir putin jewish

Um serviço noticioso libanês fez uma afirmação chocante nesta semana: Os laços cada vez mais próximos do presidente russo Vladimir Putin com Israel são porque ele é judeu. Na terça-feira, o jornalista Sami Kleib escreveu um artigo intitulado “A Natureza Judaica de Putin: Serve aos Árabes e a Síria?” O artigo apareceu no As-Safir, um importante jornal diário pró-Hezbollah de língua árabe com sede em Beirute.

O artigo comenta as reuniões frequentes entre Putin e o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e o aumento dos laços econômicos e cooperação militar entre Rússia e Israel. Outra prova citada foi Israel escolhendo não se unir às sanções internacionais contra a Rússia quando os russos anexaram a Crimeia, e a cooperação que vem impedindo confrontos entre as Forças e Defesa de Israel e as forças russas que atuam na Síria. A reportagem sugere que essa amizade crescente poderá levar a Rússia a não cumprir sua promessa de transferir os sistemas avançados de mísseis antiaéreo S-300 ao Irã.

A reportagem descreve os laços pessoais íntimos de Putin com judeus na sua infância e adolescência. Vários desses amigos de infância continuam amigos íntimos do líder russo, se tornando ricos como resultado. Esses laços pessoais são também creditados com a tolerância religiosa recente e inédita para com o judaísmo na Rússia. Putin frequentemente participa oficialmente de cerimônias judaicas e está próximo de líderes da comunidade judaica.

Putin escreveu muito sobre suas experiências de infância com judeus em sua autobiografia publicada no ano 2000. Seu treinador de box, uma figura paterna para Putin, era um judeu praticante.

O site Algemeiner especulou que a reportagem de As-Safir teve como base vários sites de teorias de conspiração que afirmavam que a infância de Putin entre judeus de sua comunidade foi devido ao fato de que ele realmente é judeu. Embora nenhuma prova tivesse sido apresentada, o site Debatepolitics fez a afirmação surpreendente de que os avós maternos e paternos de Putin eram judeus. Depois, fez uma declaração preocupantemente racista.
“Só dê uma olhada de perto na face e ouvidos de Putin; ele é tão cristão quanto Benjamin Netanyahu. Ele é apenas outro cripto-judeu, tendo convenientemente se convertido ao Cristianismo ortodoxo. Muito conveniente.”

A reportagem do As-Safir comenta sobre a importante imigração de judeus russos para Israel como um dos fatores nos laços cada vez mais próximos entre Rússia e Israel. Os israelenses russos, sob o ministro da Defesa Avigdor Lieberman, que é um judeu russo, que lutam contra os árabes nas Forças de Defesa de Israel são um ponto importante de preocupação levantado pelo artigo.

Numa afirmação preocupantemente similar ao manifesto antissemita os Protocolos dos Sábios de Sião, a reportagem afirma que devido à benevolência de Putin, os judeus estão assumindo o controle da economia e dos meios de comunicação da Rússia.

Traduzido por Julio Severo do original em inglês do site israelense BreakingIsraelNews: Hezbollah News: Is Putin Jewish?

Fonte: http://www.juliosevero.com