Religião é só uma questão de fé? Não é bem assim!

A afirmação de que a religião é simplesmente uma questão de fé é apenas mais um mito moderno. Embora a religião requeira fé, religião não está ligada somente a fé. Os fatos também são fundamentais para todas as religiões, incluindo o ateísmo, e muitos desses fatos podem ser verificados por meio de investigação científica e histórica.

As principais religiões monoteístas (cristianismo, islamismo e judaísmo) afirmam que o Universo teve um começo, enquanto muitos ateus e panteístas (budismo e hinduísmo) dizem que o Universo é eterno. Essas afirmações são mutuamente excludentes. Um dos grupos citados está com a razão.

A famosa ressurreição de Cristo é outro exemplo. Os cristãos afirmam que Jesus ressuscitou ao terceiro dia de sua morte, enquanto os muçulmanos dizem que Jesus nem mesmo morreu. Mais uma vez têm-se aqui duas visões mutuamente excludentes. Como podemos saber qual delas é a correta? Avaliando à comprovação histórica de cada uma dessas afirmações.

A ciência também acaba abordando os mesmos assuntos religiosos, exemplos: De onde veio o Universo? Como surgiu a vida? Os milagres são possíveis? Em outras palavras, ciência e religião não são categorias opostas como muitos sugerem.

Logicamente, nem todas as afirmações religiosas podem ser comprovadas científica e historicamente. Todavia, a validade de muitas crenças religiosas pode ser verificada e provada com um alto grau de certeza.

Referência

Não tenho fé suficiente para ser ateu. Norman Geisler & Frank Turek

Anúncios

Mais novo Lançamento da Série: RAMOS DO SABER E ATEÍSMO: Filosofia versus Ateísmo!

Baixe no site da Amazon.com, o mais novo Lançamento da Série: Ramos do Saber e Ateísmo: Filosofia Versus Ateísmo:

Neste Quinto volume da Série: “Ramos do Saber e ateísmo” – trazemos pensamentos e comparações filosóficas entre alguns pensadores e o cristianismo. Começamos com a comparação entre o pensamento de Sócrates e o pensamento de Jesus, seguindo uma determinada linha cronológica, abordamos o pensamento de Agostinho, de como ele saiu do maniqueísmo ao cristianismo, defendemos as cinco vias de Tomás de Aquino e chagamos na Modernidade com um artigo científico sobre Descartes. Na seqüência abordamos a decadência do pensamento marxista, penetramos na incoerência do niilismo, pontuamos sobre a covardia do pensamento pós-moderno e fechamos opinando sobre temas polêmicos como o feminismo, o homossexualismo e o aborto.

Click na Imagem:

filosofia

Vídeo: Ebook Ciência versus ateísmo

Um E book que “dessacraliza” a ciência – que se tornou a “Deusa” de muitos ateus,principalmente os “neo-ateus”, os textos não são contra a ciência em si, mas mostram como uma visão empirista de ciência pode ser ingênua, do tipo: “eu não posso ver Deus então Deus não existe”! Mostram que existe a Boa e a Má ciência e os atributos de tais, Mostram que o Criacionismo também é uma ciência reconhecida (ciência da criação) e que as críticas ao Criacionismo como ciência não se sustentam, mostram que a confiança em Revistas Científicas de Renome é frágil, porque existem muitas publicações falsas nessas Revistas.

Vejam o Vídeo e comprem o Livro!

Bíblia na lista dos livros mais indesejados nas bibliotecas escolares dos EUA

Julio Severo

Na lista mais recente de livros mais rejeitados em escolas e bibliotecas escolares dos EUA, um livro tem sido visado de modo especial em todas as partes dos EUA, em grande parte pelas questões legais envolvidas, de indivíduos que entram com ações legais para que o livro seja removido.

A Bíblia.

Bíblia 2

“Há pessoas que sentem que se uma biblioteca escolar compra um exemplar da Bíblia, isso viola a separação da igreja e Estado,” diz James LaRue, que dirige o Escritório de Liberdade Intelectual da Associação Americana de Bibliotecas (AAB), que divulgou sua lista dos 10 livros mais rejeitados.

LaRue frisou disse que a AAB também recebe queixas acerca do Corão islâmico, mas bem menos do que acerca da Bíblia.

Os Estados Unidos foram fundados por uma maioria absoluta de evangélicos que tinham a Bíblia Sagrada como o principal livro de orientação. Nenhum outro livro teve papel mais fundamental na fundação dos EUA do que a Bíblia.

A nação americana tem sido incapaz de ver os sinais de juízo com o afastamento dos padrões de Deus. Em 1963, o Supremo Tribunal dos EUA proibiu a leitura da Bíblia em sala de aula, um costume antigo praticado para uma população estudantil majoritariamente evangélica. Coincidentemente ou não, o presidente americano John F. Kennedy foi assassinado em 1963.

A ação para proibir a leitura da Bíblia foi movida pela marxista Madalyn Murray O’Hair, fundadora da organização Ateus Americanos, em favor de seu filho pequeno que ela não queria exposto à leitura da Bíblia. A ação dela ganhou e mais de 50 anos depois, a leitura da Bíblia não é permitida nas escolas americanas.

Madalyn também foi assassinada de forma trágica.

Mesmo com a leitura da Bíblia proibida em escolas, agora marxistas, ateus, muçulmanos e ativistas de outras religiões exigem a remoção da Bíblia até das bibliotecas escolares, como se isso pudesse apagar os rastros históricos fundamentais que esse livro deixou no coração e palavras de presidentes americanos do passado, inclusive nas leis americanas.

A boa notícia é que o William J. Murray, o filho de Madalyn, acabou se convertendo a Jesus Cristo e hoje ele fala dos malefícios do ateísmo e marxismo. Em entrevista exclusiva ao Blog Julio Severo, ele dá detalhes dos perigos do marxismo e como foi ser filho da mais famosa ateísta dos Estados Unidos. Para conferir a entrevista, clique neste artigo: Entrevista exclusiva com William J. Murray, defensor dos cristãos perseguidos

Com informações da Associated Press.

FONTE: http://www.juliosevero.com

A Intolerância ateia

Não houve um tumulto depois do lançamento do filme baseado no romance de Nikos Kazantzakis- A última tentação de Cristo.  Não houve tumulto depois da exibição da “obra de arte” de Andres Serrano – uma fotografia de um crucifixo imerso em urina. Não houve sala de cinema incendiada depois de um falso documentário feito pelo Discovery Channel, alegando que os ossos de Jesus tinham sido encontrados numa sepultura em Jerusalém, em 1980.

Agora o que aconteceria se um filme expusesse práticas homossexuais, usando pesquisa médica para analisar a prática, fosse exibido em nossas salas de projeção?

O que aconteceria se o ensino do ateísmo fosse proibido nas Universidades do Mundo Ocidental? Talvez acontecessem tumultos sem precedentes!

Richard Dawkins defendeu em um de seus artigos que qualquer candidato a aluno com a visão de mundo criacionista devia ter a admissão em Oxford recusada. E ele ainda critica a intolerância da religião! Dawkins é professor em Oxford, uma Universidade cujo moto é “The Lord is My Light” (O Senhor é minha luz). Dawkins tem privilégios para ensinar em Oxford devido à ética de tolerância judaico-cristã.  E agora que ele está em posição dominante, ele quer expulsar não só os docentes cristãos, mas também até os alunos que não compartilhem de seu ponto de vista ateu.

O ateu Sam Harris fez o seguinte questionamento: “ Quando ocorreu o último distúrbio social ateísta”? Será que ele não viu a violência que ocorreu nas greves dos sindicatos na Europa? Havia muitos ateístas presentes ali. Será que ele não ouviu falar dos tumultos na região de Watts em Los Angeles e em outras partes? Havia muitos ateus presentes ali. Será que ele não leu sobre a máquina de extermínio instituída por Stalin depois que este abandonou Deus e virou ateu?

É irônico que, quando o islã está numa posição de poder, as crenças islâmicas são obrigadas a todos e que, quando o ateísmo está em vantagem, as crenças ateístas sejam forçadas a todos? Somente no Cristianismo se dá o privilégio tanto de crer quanto de não crer sem nenhuma coação.

Referência

A Morte da Razão: Uma Resposta aos Neoateus. Ravi Zachrias

O precipício ateu de Foucault

Michel Foucault é um dos exemplos mais famosos do ateísmo realizando às suas próprias conclusões. Em 1975 ele se instalou à beira de um precipício. Ao lado de dois rapazes norte-americanos e com a canção Kontakte, de Karlheinz Stockhausen tocando ao fundo, ele decidiu perder o contato com a realidade e entregar-se à sua imaginação, ingerindo LSD. De costas no chão, estendeu as mãos para cima e gritou: “ As estrelas estão chovendo sobre mim. O céu explodiu. Eu sei que não é de verdade. Mas é a verdade”. Foucault introduziu seu credo na mente de seus alunos: “ É proibido proibir”.

Descendo abaixo pela rampa lisa do prazer, sem a convicção moral que lhe detivesse a queda, ele aos poucos associava até mesmo a morte com o prazer. “ Eu gostaria de morrer, e espero que isso ocorra, de overdose de qualquer tipo de prazer”. Dizia ele: “ Morrer pelo amor de garotos […] o que pode ser mais belo”.

Seu modo de vida desregrado culminou na AIDS e na sua autodestruição. Foucault era um produto do ateísmo. A vida sem Deus é em ultima análise uma vida sem nenhum ponto de referência de sentido.

Dialogo de Foucault com um estudante:

Estudante: Devo arriscar a minha vida?

Foucault: Claro que sim! Corra riscos, aventure-se!

Estudante: Mas anseio por soluções.

Foucault: Não há solução.

Estudante: Então pelo menos alguma resposta.

Foucault: Não existe resposta!

Essa é a única resposta do ateísmo para a procura de um sentido. É uma tranqüilidade falsa com balizas referenciadas em si mesmas.

Referência

A morte da razão: Uma resposta aos Neoateus. Ravi Zacharias

A fé dos ateus!

O ateísmo estabelece-se pela crença ( e não sobre a certeza comprovada) de que Deus não existe. Não há prova filosófica ou científica de que Deus não exista. A decisão do ateu é uma questão de fé, mesmo que ele não perceba isso.  Boris Pasternak, autor de Dr. Jivago, escreveu: “ Sou um ateu que perdeu a fé”. Não há contradição aqui. O ateísmo igual as demais cosmovisões, é uma questão de fé.  A fé cristã, portanto, não é nada inferior à fé atéia, muito pelo contrário.

A fé cristã, não pode ser provada, porém, repousa sobre História, a razão, a experiência e a revelação, um quarteto formidável, que lembra as quatro pernas de uma mesa bem segura, confere segurança e estabilidade à vida e a fé.

Além do mais, considerando as quatro questões fundamentais que a Religião procura elucidar: origem, significado, moralidade e destino, Somente as respostas de Jesus são coerentes com essas quatro questões.

Mais aqui:

https://exateus.com/2015/06/16/resposta-a-5a-objecao-e-ofensivo-afirmar-que-jesus-e-o-unico-caminho-para-deus/

Referência

Apologética cristã no século XXI. Alister McGrath

Em defesa da fé. Lee Strobel