Constantino o protótipo do católico atual!

Resultado de imagem para constantino teve um sonho imagens

A conversão de Constantino foi diferente da conversão de uma pessoa comum da sua época. Quando algum pagão queria aderir ao cristianismo, este era submetido a um longo processo de aprendizado e disciplina que poderia durar até três anos afim de solidificar o novo convertido na sua nova fé antes de ser batizado. Algo muito parecido com o processo de discipulado que ocorre em muitas igrejas evangélicas atuais, apesar do nome desse processo ter sido  catequese, que a igreja católica conserva até hoje, o que vemos na mesma é o batismo infantil antes mesmo de qualquer aprendizado e decisão. Depois do batismo, o novo convertido então seguia seu bispo como pastor para colocar sua fé em prática nas situações concretas da vida.

Constantino nunca se submeteu em nenhum aspecto à autoridade pastoral da igreja. Ele recebia conselhos cristãos através do sábio Lactando e do bispo Óssio de Córdoba, mas sempre se reservou no direito de determinar suas atitudes religiosas, pois se considerava “bispo dos bispos”. Mesmo após sua conversão, Constantino participou de rituais pagãos que eram proibidos aos cristãos, e os bispos não tinham coragem de repreendê-lo.

Atualmente muitos que se dizem católicos procuram centro espíritas e terreiros afros para algum tipo de relacionamento e os adeptos espíritas procuram a Igreja católica e se dizem católicos formando uma espécie de sincretismo religioso.

O imperador apesar de favorecer os cristãos em muitos aspectos e de suas afirmações de crer no poder de Jesus Cristo, tecnicamente não era cristão segundo a tradição da época, pois não quis se submeter ao batismo. Hoje em dia quando perguntamos a algum católico se ele já aceitou Jesus como Senhor e Salvador da sua vida, ele diz que sim, que já fez isso desde que nasceu. Apesar de sabermos que o Senhorio de Jesus passa é longe da sua vida!

Para Constantino era cômodo se manter apenas como um simpatizante do Cristianismo, sem ser batizado ele poderia deslizar em sua fé, sem receber condenação por parte dos dirigentes da igreja, hoje em dia muitos católicos vão à igreja raramente para desencargo de consciência e quando saem de lá principalmente aos domingos, se dizem que já podem tomar sua cerveja e ir para algum tipo de festa mundana, pois já “cumpriram a sua obrigação”!

Por outro lado, dizer que Constantino foi hipócrita ao se declarar cristão é um erro, uma visão revisionista e anacrônica. Do ponto de vista político a conversão de Constantino ocorreu no pior momento possível. Quando Constantino adotou o símbolo do labarum, ele estava nos preparativos para tomar a cidade de Roma, centro das tradições pagãs, onde seus aliados eram membros de diversas seitas pagãs que se consideravam oprimidos por Magêncio. O grau de apoio que os cristão poderiam dar a Constantino era precário, o número de cristãos no exército era pequeno, o número de cristãos ricos que poderia prestar apoio financeiro a Constantino também era pequeno.

Resultado de imagem para constantino teve um sonho imagens
Labarum

O mais certo é dizer que Constantino cria mesmo no poder Jesus Cristo. Para Constantino o Deus dos cristãos era extremamente poderoso que estava disposto a ajudá-lo, na medida em que ele ajudasse os cristãos. Na verdade, Constantino sempre buscou o favor do Deus cristão, não dos cristãos. Esse Deus havia lhe dado vitórias em muitas batalhas, desde que teve o sonho, e até seus inimigos temiam e atribuíam poder sobrenatural ao labarum de Constantino.

Mas Constantino entendia que a Fé em Jesus Cristo não o impedia de adorar outros deuses. Constantino em grande parte de seu governo, pensou que o Sol Invicto e o Deus dos cristãos eram o mesmo ser e que os outros deuses também eram reais  e relativamente poderosos, apesar de serem divindades subalternas e aí fazemos mais um paralelo entre o católico atual e suas venerações aos santos como um tipo de intermediador entre eles e a Divindade.

Constantino consultava o oráculo de Apolo, aceitava o título de sumo-sacerdote de deuses pagãos e participava das cerimônias a esses deuses, sem pensar que assim estava traindo ou abandonando o Deus que lhe tinha dado vitória e poder.

Concluo, então, deixando o alerta para aqueles católicos e qualquer outro cristão que como já falei, freqüentam o espiritismo, consultam adivinhos através de cartas, tarô, búzios, leituras de mão e etc, que consultam astrologia através de horóscopo, para que larguem essas práticas que não conferem a um cristão.

Referência

História Ilustrada do Cristianismo. Justo L. González

 

Anúncios

Religião é só uma questão de fé? Não é bem assim!

A afirmação de que a religião é simplesmente uma questão de fé é apenas mais um mito moderno. Embora a religião requeira fé, religião não está ligada somente a fé. Os fatos também são fundamentais para todas as religiões, incluindo o ateísmo, e muitos desses fatos podem ser verificados por meio de investigação científica e histórica.

As principais religiões monoteístas (cristianismo, islamismo e judaísmo) afirmam que o Universo teve um começo, enquanto muitos ateus e panteístas (budismo e hinduísmo) dizem que o Universo é eterno. Essas afirmações são mutuamente excludentes. Um dos grupos citados está com a razão.

A famosa ressurreição de Cristo é outro exemplo. Os cristãos afirmam que Jesus ressuscitou ao terceiro dia de sua morte, enquanto os muçulmanos dizem que Jesus nem mesmo morreu. Mais uma vez têm-se aqui duas visões mutuamente excludentes. Como podemos saber qual delas é a correta? Avaliando à comprovação histórica de cada uma dessas afirmações.

A ciência também acaba abordando os mesmos assuntos religiosos, exemplos: De onde veio o Universo? Como surgiu a vida? Os milagres são possíveis? Em outras palavras, ciência e religião não são categorias opostas como muitos sugerem.

Logicamente, nem todas as afirmações religiosas podem ser comprovadas científica e historicamente. Todavia, a validade de muitas crenças religiosas pode ser verificada e provada com um alto grau de certeza.

Referência

Não tenho fé suficiente para ser ateu. Norman Geisler & Frank Turek

Rio 2016 A Olimpíada Illuminati

Não vou falar da organização, da beleza de cores e da alegria do povo brasileiro, mas é  a  abertura de Olimpíada mais “politicamente correta” de todos os tempos, como não poderia deixar de ser! Galvão Bueno a chamou de a mais “politizada” de todos os tempos!

Recheada de tema ecológico e mensagens subliminares como aquela mudinha de planta que parecia mais um pezinho de maconha!

E para quem acha que estou exagerando, o vídeo ecológico terminou com o símbolo chamado de a cruz de Nero que é o símbolo do movimento hippie, do movimento ecológico, de Bob Marley, da Maconha e significa a “verdadeira paz sem Cristo”!

Fora isso o tema ainda enfatizou a “Farsa do aquecimento Global” e mostrou várias cidades sendo inundadas deixando a digital  Illuminati nesse aviso!

E lá estava uma delegação de refugiados, só faltou a delegação feminista e a delegação LGBT!

E por falar em Galvão Bueno ele está querendo inventar um novo clichê como aquele dos “gladiadores da era moderna” chamando a chama olímpica de “chama sagrada”!

Enfim como o presidente do Comitê Olímpico brasileiro falou em seu discurso é a olimpíada que marcará o início uma “nova era”!

ISLÃ: CRISTÃO TEM BRAÇOS AMPUTADOS POR NÃO NEGAR A CRISTO

mulçumano 1

Por Libertar.in

Mas o Papa Francisco não disse que o islã é uma religião da paz?

Os países muçulmanos têm algumas regras bem rigorosas. Eles impõem um modo de vestir, de interagir e vão muito além disso, pessoas que não seguem as regras são cruelmente castigadas. É claro que não são todos os países muçulmanos, mas muitos levam suas regras muito a sério.
Além disso, existem muitos extremistas nesses locais que reprimem os indivíduos de #Religião diferente – e foi o que aconteceu no Paquistão. Naquele país, os cristãos paquistaneses precisam ficar calados e escondidos, pois eles sofrem constantes perseguições. Existem relatos de agressões, prisões e até mortes. Dessa vez, um homem cristão foi descoberto, mas ele tinha uma escolha, e mesmo assim preferiu perder os braços a negar sua religião e o nome de Jesus, pois ele entregou sua vida ao aceitá-lo como salvador e senhor, e desde então começou a seguir seus passos.

A informação desse acontecimento veio da Associação Evangélica de Desenvolvimento Legal. Segundo o comunicado, o homem que se denominava cristão com o nome Aqeel Masih foi levado por extremistas. Ele estava trabalhando em um posto de gasolina na capital Lahore – local do sequestro.

Ele foi levado por extremistas islâmicos, que exigiram que ele renunciasse à sua fé. Mesmo com insultos, agressões e ameaças, Aqeel não negou e teve os dois braços decepados. Atitudes assim são comuns nesses países, mas é crime, e quando descoberto essas pessoas são julgadas. O que foi diferente nessa história é a atitude do homem, o ato de não negar é mais difícil de acontecer, nem mesmo João (discípulo de Jesus) aguentou a pressão. Por causa do acontecido, a Associação Evangélica de Desenvolvimento Legal entrou com uma denúncia em favor do cristão Aqeel Maish. O próprio homem que teve os braços cortados já teria realizado uma notificação contra os extremistas, mas nada adiantou e a polícia local ignorou a denúncia.

Depois do acontecimento, Aqeel voltou à delegacia, onde os policiais o ouviram e também tentaram afastá-lo de jornalistas para que o caso não fosse divulgado. Três suspeitos já foram detidos, mas eles negaram a acusação. Até o momento, o caso não foi comprovado e não houve punição para os agressores. A Associação Evangélica de Desenvolvimento Legal ainda insiste e tenta justiça.

Via http://www.gospelgeral.com.br/index.php/2016/07/29/apos-nao-negar-cristo-cristao-tem-bracos-decapitados-por-muculmanos/

RADICAIS HINDUS PROMETEM ELIMINAR O CRISTIANISMO DA ÍNDIA ATÉ 2021

Cristã indiana

Grupos radicais hindus na Índia estão tentando cumprir a promessa de eliminar o cristianismo do país até o ano 2021. Eles querem transformar o país em uma “zona livre” de igrejas e templos de qualquer outra religião. Liderados por Rajeshwar Singh, do Movimento Rashtriya Swayamsevak Sangh (RSS), desde 2014 eles promovem práticas designadas como “purificação religiosa”, e “reconversão”, sobretudo na região norte.

Seus brutais ataques incluem o sequestro e tortura de hindus convertidos a Jesus, no processo que eles chamam de reconversão. Igrejas são invadidas e colocam-se imagens de deuses hindus, no altar, além de uma pira com o fogo sagrado hindu. Depois, declara-se que a igreja e seus seguidores precisam de purificação, pois “são imundos”. Conforme anunciado, eles tentam livrar primeiro o interior rural, onde as autoridades são complacentes.

Anos atrás, todos os cristãos da aldeia de Asroi foram forçados a fazer parte dessa cerimônia e ameaçados de enfrentar terríveis consequências, caso não voltassem ao hinduísmo. O local foi transformado, desde então, em um templo hindu.

Além da violência explícita, o RSS vem usando outras “armas”. No início do ano,republicou um livro intitulado “Cristo Parichay” [Cristo era hindu], escrito em 1946, por Ganesh Savarkar.

O livro é uma grande especulação sobre a ligação dos ensinamentos de Jesus com vedas indianos, recheados de uma série de invenções, que contradizem diretamente a Bíblia.

Afirma que o verdadeiro nome de Messias era “Keshao Krishna” e ele foi resgatado da cruz por essênios, reanimando-o com plantas medicinais e levado para a região da Caxemira, onde morreu de velhice muitos anos depois. Para eles, o cristianismo é apenas uma seita do hinduísmo.

Mais recentemente, o governo indiano está tentando tornar nacional uma lei anticonversão, que já está em vigor em cinco dos estados da Índia. Ela cria uma série de dificuldades para os que nascem em família hindu e posteriormente abandonam a fé de seus pais.
Forçados a negar a Cristo

A missão Portas Abertas está divulgando mais um caso bastante simbólico do que passam os cristãos por causa desse movimento. Quando Neeraj [nome trocado por questões de segurança] tornou-se cristão, passou a ser perseguido por líderes religiosos na sua aldeia e até pelo seu próprio pai, que o agrediu.

Ele e mais dois cristãos sofreram uma emboscada de um grupo de radicais hindus que o espancaram durante quatro horas. Brandindo facas, diziam: “Se você negar sua fé em Jesus, poderá ir para casa”. Neeraj recusou-se, dizendo: “Não, ele é o meu Senhor. Eu nunca vou deixá-lo.”

No dia seguinte, os três foram levados para a delegacia de polícia local, acusados de tentar converter os hindus locais, algo que viola as leis anticonversão do seu estado. Logo, uma multidão reuniu-se em frente à cadeia e exigiram sua morte. Até os policiais passaram a ameaçá-los: “Vamos deixá-los nu e lhes dar um tratamento com eletrochoques”.

Após uma noite inteira de espancamentos e ameaças, os três cristãos concordaram em abdicar de sua fé em Cristo. “Eu estava com tanto medo que eu decidi obedecer”, confessa Neeraj.

Essa reconversão forçada possibilitou que Neeraj voltasse para junto de sua esposa Ritu. Mas ele caiu em si, chorando amargamente por ter decidido negar a Cristo. Decidiu fugir para outra cidade e, apesar de ameaças de morte, voltou a professar o cristianismo. “Não quero trair Jesus outra vez e por isso não posso voltar para minha aldeia”, finaliza.

Segundo a Portas Abertas, a Índia é o 17º país no ranking dos maiores perseguidores ao cristianismo. Contudo, muitos casos ocorrem nas zonas rurais, onde não há internet, por exemplo, o que significa que só são conhecidos – como o caso e Neeraj – caso a pessoa vá para uma outra cidade. Com informações de Christian Today

Por Jarbas Aragão – Gospel Prime

Cristão tem os dois braços decepados por não negar a Cristo

Cristão tem os dois braços decepados por não negar a Cristo

Por Jarbas Aragão / GospelPrime

Os cristãos no Paquistão vivem um ambiente de constante perseguição por parte dos muçulmanos. Relatos de prisões, agressões e até mortes são relativamente comuns. Porém, um caso recente está chamando muita atenção.

Segundo a Associação Evangélica de Desenvolvimento Legal (LEAD, na sigla em inglês), Aqeel Masih, que trabalhava em um posto de gasolina na capital Lahore, foi sequestrado por extremistas islâmicos. Eles exigiram que ele renunciasse à sua fé, mas como se negou, teve os dois braços decepados.

A LEAD está fazendo a denúncia por que Maish já havia feito queixas contra os extremistas anteriormente. Mas a polícia ignorou a denúncia. Agora, após o crime bárbaro, quando ele foi até a delegacia de Ghalib, os policiais o afastaram dos repórteres para que não desse entrevistas.

O policial Ammara Athar, que investiga o caso, afirmou que três suspeitos foram detidos, mas negou que eles tenham decepado os braços da vítima. Segundo ele, Masih teve um acidente de trem. A versão oficial afasta a hipótese que tenha sido um crime cometido por motivações religiosas. Até o momento, a possibilidade de acidente não foi comprovada.

O coordenador da LEAD insiste na versão do seu cliente: “Os extremistas tentaram forçá-lo a abandonar o cristianismo e se convertesse ao islamismo. Aqeel não renunciou à sua fé cristã e contrariou os sequestradores. Após essa, os extremistas cortaram os dois braços dele e fugiram do local do crime”. Com informações de Christian Today

CRISTÃO É JOGADO EM CELA COM ANIMAIS FEROZES E SAI ILESO

Como o profeta Daniel, advogado egípcio experimentou milagre na cadeia

Um ex-muçulmano egípcio foi preso e torturado após se converter a Cristo. Milagrosamente, escapou de ser morto por animais ferozes, num relato que lembra a história bíblica do profeta Daniel.

Segundo foi noticiado pela Christian Today, o advogado egípcio Majed El Shafie entregou sua vida a Cristo depois de ser evangelizado por um amigo e estudar a Bíblia com ele. El Shafie era um homem influente em sua comunidade. Nascido e criado em família muçulmana, após sua conversão foi proibido de advogar e acabou preso por apostasia. Enviado para Abu Zaabel, no Cairo, passou meses na penitenciária conhecida como “Inferno na Terra”.

Enquanto estava na prisão, El Shafie foi submetido a várias formas de tortura, incluindo ser espancado, queimado, cortado e amarrado a uma cruz por dois dias inteiros. O tempo todo, seus agressores exigiam que confessasse quem eram os cristãos com quem ele se reunia.

Certo dia, durante uma sessão de tortura, cães ferozes foram colocados pelos guardas na sala onde ele estava. O advogado temeu ser devorado vivo, pois os animais estavam famintos, mas permaneceu em oração e viu uma cena que lembra a história bíblica de Daniel na Cova dos Leões. Os cães ficaram calmos e sentaram perto de El Shafie, sem feri-lo. Seus captores ficaram irritados e trouxeram outros cães, mas aconteceu a mesma coisa.

No quarto dia de sua tortura, o ex-muçulmano decidiu confessar: “Eu vou dizer quem é o nosso líder, e se vocês puderem pegá-lo, ele poderá dizer os nomes de todos os membros. O nome do nosso líder é Jesus Cristo”. Isso deixou os guardas ainda mais nervosos.

Apanhou tanto que, dias depois, foi levado para um hospital para se recuperar de seus ferimentos. Desidratado por ter ficado dias sem comida nem água, conta que recebeu uma visita de Jesus, que lhe ofereceu água.

Foi quando soube que tinha sido condenado à morte. Com a ajuda de amigos, ele conseguiu fugir para Israel. De lá, foi para o Canadá, onde foi aceito como refugiado. Estou teologia e se tornou pastor. Há anos vem trabalhado para ajudar os cristãos perseguidos. Fundou a One Free World International uma ONG que luta pelos direitos humanos, sobretudo a liberdade religiosa.

“Nossos inimigos têm um exército muito forte, tem armas muito fortes, mas nós temos o Senhor Todo-Poderoso. Eles podem matar o sonhador, mas ninguém pode matar o sonho”, ensina.

Recentemente, recebeu o prêmio “Raoul Wallenberg Citation for Moral Courage”. Quando dá seu testemunho, menciona a história dos cães. “Eles são treinados para ouvir seus mestres, mas não há maior mestre que o Senhor Jesus Cristo”, comemora.

Por Jarbas Aragão – Gospel Prime