Israelenses Preferem Vitória de Hillary Clinton

Comentário de Julio Severo: Para os novatos em política, talvez seja um choque ou surpresa ler que os israelenses preferem a esquerdista patentemente criminosa Hillary Clinton como president dos EUA. Até mesmo a Direita israelense a prefere. Por que? Porque o socialismo faz parte da cultura israelense desde o nascimento do moderno Israel. A Direita israelense tem vários aspectos socialistas. Nos EUA, tradicionalmente os judeus votam majoritariamente na Esquerda. Nunca os judeus americanos votaram majoritariamente na Direita. Eles são tradicionalmente um dos maiores apoiadores do Partido Democrático nos EUA, partido que é semelhante ao PT. Para entender por que Trump não tem apoio nem mesmo na Direita israelense, é preciso compreender que tradicionalmente a maioria dos judeus não vota na Direita. Leia agora a matéria do Ruas Judaica

Para entender ainda mais a mentalidade de Israel hoje, por isso que eles vão aceitar fácil o anticristo, leiam:

https://exateus.com/2016/06/05/o-verdadeiro-israel-a-sinagoga-do-anticristo-que-a-midia-ocidental-oculta/

https://exateus.com/2016/03/10/israel-realiza-seu-primeiro-concurso-de-beleza-homossexual/

Embora muitos deles pensem que Trump seria melhor para Israel — a maioria dos judeus israelenses prefere Hillary Clinton sobre Donald Trump como o próximo presidente dos Estados Unidos.

De acordo com uma pesquisa divulgada, 43 por cento dos judeus israelenses preferem Clinton como presidente, em comparação com 34 por cento que querem Trump, quando solicitados a escolher entre os dois candidatos. Mas 38 por cento dizem que Trump seria melhor para Israel, em comparação com 33 por cento que dizem que Clinton seria.

Em ambas as perguntas, um grande número de pessoas não escolheu um candidato.

O Democracy Institute Israel e a Tel Aviv University lançaram sua mais recente pesquisa mensal — Índice de Paz — após ouvir 600 israelenses no final de agosto. A margem de erro é de 4,1 por cento.

Alguns entrevistados apoiam Clinton, a ex-primeira-dama e secretária de Estado, mesmo não achando que a candidata democrata “será melhor do ponto de vista da política do governo israelense”, como o levantamento coloca. Treze por cento dos judeus dizem que Trump, o candidato republicano, seria melhor para Israel, mas desejam Clinton para presidente. Apenas 2 por cento de judeus que disseram que Clinton seria melhor para Israel querem Trump para ser presidente.

“Parece haver pessoas que apoiam Clinton, embora eles achem que ela vai colocar mais pressão sobre Israel ou ser menos fácil para Israel para lidar, em termos de todo o apoio que precisa dos Estados Unidos”, disse Chanan Cohen, pesquisador do Israel Democracy Institute que ajudou a conduzir a pesquisa.

O candidato libertário Gary Johnson e seu colega do Partido Verde Jill Stein não foram incluídos na pesquisa.

Em abril, a opinião judaica sobre o assunto quase foi revertida. O Índice de Paz naquele mês encontrou 40 por cento que pensavam que Clinton seria melhor para o interesse de Israel e 31 por cento pensavam que Trump seria.

Desde a temporada de primárias, quando Trump comprometeu-se a ser um corretor “neutro” de paz israelense-palestino, que ele e o Partido Republicano têm tentado aumentar os seus pró-Israel bona fides. Na semana passada, os apoiantes de Trump abriram seu quinto escritório de campanha em Israel, e o primeiro na Cisjordânia. Eles preveem que 85 por cento dos americanos que vivem em Israel, que eles dizem estimar em torno de 300.000, votarão no desenvolvedor e estrela de reality show (Trump).

Ainda assim, Trump não tem uma pluralidade de apoio judaico israelense. Mesmo na direita política, apenas 49 por cento o apoiam, com 23 por cento preferindo Clinton, segundo a pesquisa. A esquerda (86 por cento) e do centro (57 por cento) têm uma “esmagadora preferência” por Clinton, segundo o Instituto Democracia de Israel.

“Eu esperava que os eleitores de direita apoiassem Trump em números maiores, mas podemos ver menos da metade do que esperávamos”, disse Cohen. “Eu sei que nos Estados Unidos, a direita tem preocupações sobre a personalidade de Trump, e podemos ver isso também na direita de Israel.”

Entre os árabes israelenses, que compõem cerca de 20 por cento da população de Israel, 58 por cento preferem a candidata democrata e 11 por cento o republicano.

Fonte: http://www.ruajudaica.com

Divulgação: http://www.juliosevero.com

Anúncios

Papa diz que cristãos devem pedir perdão a gays

Daqui uns dias esse papa como esse discurso “politicamente correto, pluralista e relativista” irá dizer que Deus tem que pedir perdão por ter destruído Sodoma e Gomorra e que Jesus deve pedir desculpas a Satanás!

________

O papa Francisco fez mais uma declaração de impacto neste domingo (26). Para ele, a Igreja Católica Romana e os cristãos em geral devem pedir o perdão de homossexuais pela forma como os trataram no passado.

Falando a jornalistas, asseverou que o pedido de perdão da Igreja devia ser feito “aos pobres, bem como às mulheres que foram exploradas, às crianças que foram exploradas por trabalho (forçado). Deve pedir desculpas por ter abençoado tantas armas”.

A bordo de um avião, retornando a Roma após visita histórica à Armênia, Francisco foi questionado durante uma hora sobre diversos assuntos. Perguntado se concordava com os comentários de um cardeal alemão sobre a Igreja pedir desculpas aos gays, ele assegurou que sim.

Ao ser lembrando da morte de 49 pessoas em uma boate gay em Orlando, na Flórida, neste mês, o pontífice lembrou os ensinamentos da Igreja em que os homossexuais “não devem ser discriminados. Eles devem ser respeitados, acompanhados pastoralmente.”

Tema recorrente

Em 2013, ela já havia dito que não se pode julgar as pessoas por sua orientação sexual nem deseja ver a perseguição dos gays dentro da Igreja Católica.

Meses depois, após o encerramento da Jornada Mundial da Juventude, no Brasil, Francisco questionou: “Se um gay busca Deus, quem sou eu para julgar? ‘Quando Deus olha para um gay, ele confirma a existência dessa pessoa com amor, ou rejeita e condena esta pessoa?’ Nós devemos sempre considerar esta pessoa. Aqui entramos no mistério da humanidade”. Com informações de MSN

Imprensa culpa Feliciano, Malafaia, Macedo e Bolsonaro por massacre em boate gay

por Jarbas Aragão / GospelPrime

Eu cantei a jogada que a Galera LGBT não têm coragem de acusar o Islã e fica usando de subterfúgios, acusando quem não tem nada a ver com isso. O assassino votava no Partido Democrata (esquerdista dos EUA) e frequentava a própria Boate!

Imprensa culpa Feliciano, Malafaia, Macedo e Bolsonaro por massacre em boate gayCharge culpa Feliciano e Malafaia por massacre em boate gay

Após ter sido usada pelo deputado Jean Wyllys (PSOL/RJ), a tentativa de associar os evangélicos brasileiros com omassacre na boate gay em Orlando (EUA), passou a ser tema de uma espécie de campanha nas redes sociais.

Uma imagem que diz “Se você acha que ser LGBT é pecado, você também puxou o gatilho” começou a ser usada em comentários do Facebook quando se fala sobre o tema. Uma série de outras frases sobre essa estranha associação circulam nas redes sociais.

fobia

O assunto saiu do virtual e chegou à imprensa. O jornal O Dia, do Rio de Janeiro, publicou como charge do dia de hoje (14). O desenho lembra o pôster do filme “Os Suspeitos”. Nela estão representados: o pastor Silas Malafaia, o bispo Edir Macedo, o deputado pastor Marco Feliciano (PSC/SP) e o deputado Jair Bolsonaro (PSC/RJ). Acima, a frase: “Não sei, foi tudo muito rápido… poderia ter sido qualquer um deles, ou todos, sei lá”.

Embora essa associação não faça o mínimo sentido, pois as pessoas representadas no desenho não estavam no local nem existe qualquer registro que tenham pedido a morte de homossexuais, a ideia parece estar se espalhando.

Marco Feliciano desabafa: “Geralmente admiro charges, são provocativas e engraçadas. Neste caso demonstra preconceito, inverdades e desonestidade intelectual. O crime foi promovido por um terrorista que planejou primeiro a Disney. E informações novas mostram que ele frequentava a boate. Isso sim é disseminação de ódio. Repudio está charge”.

Já o pastor Malafaia preferiu gravar um vídeo sobre o assunto. “Imprensa sectária… Eu quero ver o jornal O Dia fazer uma charge do Estado Islâmico…. Opinião não é homofobia, nem crime. Eu tenho o direito de dizer que uma prática é pecaminosa, nem por isso estou motivando o assassinato ou a morte… 115 mil cristãos foram assassinados no mundo ano passado, alguém falou sobre isso?”.

Ao falar da imprensa de modo em geral, que se calou diante de outras situações no passado, disparou: “São um bando de covardes e preconceituosos. Têm raiva do crescimento da igreja evangélica no país. Não somos promotores de ódio nem do assassinato de ninguém”.

Embora não esteja presente no desenho, mas tendo sido igualmente citado por Jean Wyllys, o deputado pastor Eurico (PHS/PE) também se manifestou sobre o assunto: “Cristãos morrem todos os dias vitimados por extremistas islâmicos em todo mundo. Eu nunca vi ele [Jean] defender ou demonstrar nenhum sentimento por nenhuma das famílias vitimadas. Nós, cristãos evangélicos não defendemos nem apoiamos nenhum ato de violência contra qualquer ser vivente, quer seja racional ou irracional”.

Afirmou ainda que “ ele carrega entranhado em sua alma contra os cristãos e evangélicos, ele não passa de um verdadeiro EVANGELICOFÓBICO. Deus tenha misericórdia de sua alma e liberte-o da escravidão que ora vive”.

O islã ensina a morte de homossexuais

Entre as imagens usadas na internet, algumas usam versículos bíblicos e imagens da Bíblia, afirmando que seu ensinamento estimula os cristãos a matarem homossexuais. Contudo, em nenhum momento foi lembrado que o atirador era muçulmano e que a ideia de se exterminar os gays é algo profundamente enraizado na lei islâmica.

Por exemplo, nos países onde a sharia [lei religiosa islâmica] é lei, os homossexuais são constantemente perseguidos e mortos. O Washington Post listou recentemente 10 países muçulmanos onde a prática pode ser punida com a morte. (Iêmen, Irã, Mauritânia, Nigéria, Qatar, Arábia Saudita, Somália, Sudão, Emirados Árabes Unidos e Iraque).

Conforme registrado pela BBC, os extremistas do Estado Islâmico jogam homossexuais do alto dos prédios, os que não morrem assim, são apedrejados em praça pública, muitas vezes sob aplausos das multidões que acompanham o evento.

No ano passado, o estudante de medicina Taim (nome fictício), de 24 anos, que vivia no Iraque saiu do país por causa disso.

“O Islã se opõe à homossexualidade. Meu pai me fez estudar a sharia (lei islâmica) por seis anos porque queria que fosse religioso como ele. Há um hadith (narrativas e pregações atribuídas ao profeta Maomé) que recomenda que homens gays sejam jogados de desfiladeiros, e depois que um juiz ou um califa decida se devem ser queimados ou apedrejados até a morte”, conta.

Funkeira transexual quer gravar gospel para unir gays e evangélicos

Funkeira transexual quer gravar gospel para unir gays e evangélicos

Por Leiliane Roberta Lopes / GospelPrime

A transexual Marcela Porto, cujo nome artístico é Mulher Abacaxi, resolveu estrear no mundo da música gravando um CD de funk gospel.

Frequentadora da Igreja Universal, a artista acredita que pode unir homossexuais e evangélicos.

“Existem desentendimentos entre alguns evangélicos e homossexuais, quero ajudar na união”, falou ela em entrevistaao iG.

A gravação do CD vai unir dois coisas que a artista gosta muito: funk e religião.

“Eu sou de uma família de caminhoneiros e evangélicos. Sempre tive afinidade com a igreja. Mesmo cantando funk, eu gosto de escutar música evangélica e orar. Gosto muito de escutar a palavra de Deus, sou muito ligada a Ele”, diz ela que já fez sucesso no funk com o Furacão 2000.

Antes de assumir a identidade de Marcela, ela era Bruno Souza, um caminhoneiro que precisou investir R$ 60 mil reais em plásticas e próteses para ganhar uma aparência feminina.

Entre os procedimentos cirúrgicos realizados estão: duas lipoesculturas, três rinoplastias, além de puxar os olhos e aumentar o bumbum com silicone.

Marcela avisa que no começo precisou esconder os seios por ainda trabalhar com caminhões – ela era dona de uma frota, mas depois das cirurgias não precisou mais se esconder.

“Eu tinha que usar uma tala para esconder os seios. Me sentia um sapatão. Agora não, sou mulher 24 horas por dia”, afirma.

NORUEGA VAI PERMITIR QUE CRIANÇAS DE ATÉ 6 ANOS MUDEM DE SEXO SEM PROCEDIMENTO MÉDICO OU EXAME PESIQUIÁTRICO

A Noruega vai permitir que pessoas mudem de sexo simplesmente “marcando no quadradinho,” e crianças até de seis anos de idade poderão mudar de sexo sem nenhum procedimento médico sob uma nova lei.

O novo projeto de lei significará o fim de exames psiquiátricos, longos tratamentos hormonais e cirurgias invasivas em esterilizações irreversíveis que têm sido tradição para uma mudança de sexo na Noruega desde a década de 1970.
A lei também permitirá que menores de idade de 6 a 16 anos mudem seu sexo se os pais concordarem. Se um dos pais se opuser, o governo decidirá “no melhor interesse da criança.”
O novo projeto de lei foi louvado por ativistas homossexuais e esquerdistas como uma das leis mais esquerdistas do mundo. Tudo o que as pessoas terão de fazer se quiserem mudar de sexo é notificar o governo e só clicar num site será suficiente para legalizar tudo.
A lei, que os ativistas esperam será votada no Parlamento da Noruega antes do próximo recesso, está enfrentando pouca oposição.
Ainda considerada como uma desordem de personalidade pela Organização Mundial de Saúde, o transgenerismo provoca emoções internacionalmente.
Uma lei da Carolina do Norte nos EUA que requer que indivíduos transgêneros usem o banheiro que corresponde ao sexo de suas certidões de nascimento provocou protestos furiosos, desde o cantor Bruce Springsteen até o banco alemão Deutsche Bank. Provocou também um debate enfurecido entre os candidatos presidenciais republicanos dos EUA Donald Trump [que é a favor de homens homossexuais nos banheiros femininos] e Ted Cruz [que é contra homens homossexuais nos banheiros femininos].
A Argentina é pioneira nesse campo, tendo permitido desde 2012 que pessoas escolham seu próprio sexo legal sem terem passado antes por uma cirurgia de mudança de sexo.

Obama aprovará primeiro monumento pelos direitos dos homossexuais

resize-500x300_5-681

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, está disposto a aprovar o primeiro monumento nacional em reconhecimento dos direitos e contribuições sociais dos homossexuais, lésbicas, bissexuais e transexuais, informou o jornal “The Washington Post”.

Delimitado pelos espaços do histórico bairro nova-iorquino de Greenwich Village, berço da liberação e do movimento homossexual americano, o monumento ressaltará uma área urbana moderna, ao contrário da maioria dos monumentos nacionais do país, dedicados a paisagens selvagens icônicas ou locais históricos.

As autoridades federais, entre elas a secretária de Interior, Sally Jewell; o diretor do Serviço de Parques Nacionais, Jonathan B. Jarvis, e o congressista democrata por Nova York, Jerrold Nadler, participarão da próxima semana de um encontro no qual a proposta será detalhada.

Se tudo correr como esperado, segundo o jornal, Obama designará parte do bairro de Greenwich Village como Parque Nacional no próximo mês, quando se lembra o orgulho gay.

Os protestos nessa área de Nova York, que duraram vários dias, começaram na madrugada de 28 de junho de 1969, depois que a polícia fez uma batida no bar Stonewall Inn, que era frequentado por homens homossexuais.

A designação pode coincidir com o primeiro aniversário da decisão do Supremo Tribunal americano, de 26 de junho do ano passado, que legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo no país, um marco histórico nos direitos dos homossexuais.

FONTES: EFE / ÚLTIMOS ACONTECIMENTOS

Marco Feliciano exalta Olavo de Carvalho no Congresso Nacional

 

Júlio Severo

Na madrugada de hoje, num discurso na Comissão de Impeachment do Congresso Nacional, o Dep. Marco Feliciano disseque Olavo de Carvalho “tem aberto a mente de um sem-número de pessoas no Brasil.”

Enquanto Feliciano exalta Olavo, Olavo exalta… o catolicismo. Mas não o catolicismo vivido e praticado por bons líderes católicos pró-família, que acreditam que é possível discordar sem xingar. Contrariando esse catolicismo, Olavo tem xingado bispos e cardeais de nomes sujos.

Aliás, em 2013, enquanto as esquerdas estavam atacando Feliciano por ter sido nomeado presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, Olavo estava, em vídeo, qualificando o deputado assembleiano de “burro, despreparado, soberbo e irresponsável.” Apesar de tudo, Feliciano ainda pode se dar por feliz por não ter sido xingado por nenhum nome sujo.

Na mesma mensagem de vídeo, Olavo diz que Feliciano erra por não entender que movimento homossexual não tem nada a ver com conduta homossexual. É um assunto no qual Olavo tem pouco ou nenhum conhecimento correto, pois antes de existir o movimento homossexual organizado que vemos hoje, a Bíblia já condenava categoricamente a conduta homossexual, enquanto que Olavo dá a entender que é uma conduta que vai durar milênios e que por isso não deveríamos nos preocupar.

Mesmo que estupro, assassinato, adultério e outros pecados durem milênios, a responsabilidade do homem de Deus é pregar contra o pecado, enfatizando que no Evangelho há libertação e salvação.

Há pessoas muito mais qualificadas do que o Olavo para tratar da questão entre movimento homossexual e conduta gay. Scott Lively, que é pastor pentecostal e jurista americano, é autor do livro “A Suástica Rosa,” que denuncia o movimento gay moderno, sem minimizar os perigos da conduta homossexual. Scott é hoje a maior autoridade mundial em questões homossexuais.

Não havia, na época de Abraão, nenhum movimento homossexual de linha marxista, mas Sodoma e Gomorra foram destruídas, não por causa da ideologia homossexual socialista, porém por causa da conduta homossexual.

Vergonhoso que depois de ser chamado de “burro, despreparado, soberbo e irresponsável,” Feliciano diga que Olavo “tem aberto a mente de um sem-número de pessoas no Brasil,” sem notar que essa “abertura de mente” tem também envolvido proselitismo, onde os que tiveram a “mente aberta” compreenderam que Olavo é um mestre e que o caminho certo é o catolicismo dele. Há casos até de pastores que depois de fazerem o curso dele passaram para o catolicismo dele. Fazer vista grossa a essa realidade é de fato se mostrar merecedor dos adjetivos que o próprio Olavo usou contra Feliciano.

Em todo caso, xingar bispos e cardeais não é conduta de verdadeiro católico pró-vida. Fora essa questão de conduta imprópria, Feliciano tem várias questões que, se ele se desfizer dos adjetivos que Olavo lhe aplicou (“burro, despreparado, soberbo e irresponsável”), ele deveria analisar com mente aberta:

Exaltar um homem que exalta o catolicismo, mas prefere viver nos EUA, o país mais protestante do mundo, é incoerente para um homem que se considera pastor. Esse tipo de conduta hipócrita não é em nada diferente do socialista brasileiro, que exalta o socialismo, mas prefere viver em países capitalistas, especialmente os EUA.

Exaltar um homem que diz que a Inquisição, que torturava e matava judeus e evangélicos, é invenção dos protestantes dos EUA, mas não larga mão dos EUA fundados por protestantes, é se mostrar “burro, despreparado e irresponsável.”

Exaltar um homem que diz que Lutero e Calvino foram dois “filhos da ****,” mas não larga mão dos EUA fundados por protestantes, é se mostrar “burro, despreparado e irresponsável.”

Exaltar um homem que diz que o protestantismo foi o primeiro movimento de linha marxista da história, mas não larga mão dos EUA fundados por protestantes, é se mostrar “burro, despreparado e irresponsável.”

Em tempos mais avivados, o pastor assembleiano Marco Feliciano poderia estar ajudando Olavo a abrir a mente para o Evangelho, em vez de, como outros alunos do Olavo que hoje já são ex-pastores, abrir sua própria mente para as ideias dele quetranspiram esoterismo ao exaltarem as premonições do bruxo islâmico René Guénon.

Hoje, em tempos menos avivados, quando Feliciano posta uma reportagem de evangélicos sendo perseguidos e mortos por católicos no México e a reportagem desagrada ao Olavo ou seus olavetes, Feliciano prontamente remove a reportagem, conforme aconteceu tempos atrás.

No mesmo discurso de exaltação ao Olavo no Congresso Nacional, Feliciano também denunciou o PT e o Foro de São Paulo, que de fato são malignos. Mas denunciá-los como a maior ameaça do universo é se mostrar olavete e cair no mesmo conto do vigário de Adolf Hitler, que atacava o marxismo como estratégia para alavancar sua ideologia política esotérica.

Jesus abre mentes. Por que não exaltá-lo acima de todos os outros “abridores de mentes,” que mais fecham do que de fato abrem?

Fonte: http://www.juliosevero.com