A Inquisição Espanhola e a Perseguição aos Protestantes!

Imagem relacionada

Foi por volta de 1519 que os primeiros escritos de Lutero chegaram à Espanha, entre eles o seu comentário de Gálatas. Vindo dos Países Baixos, os livros dos reformadores iam penetrando na Espanha. Logo a Inquisição começou a tomar medidas para a destruição e proibição desses escritos.

Antes do final do reinado de Carlos V, algumas comunidades protestantes já existiam em Valhadolide e Sevilha. Juliano Hernandez o “Julianinho” foi um dos primeiros mártires que a Inquisição Espanhola abateu, fora levado várias vezes à câmara de torturas, não negou a sua fé e nem revelou o nome de seus irmãos. Depois de três anos de prisão e torturas, antes de ser levado à fogueira pronunciou as seguintes palavras:

“Coragem, camaradas! Esta é a hora em que devemos nos mostrar valentes soldados de Jesus Cristo. Demos fiel testemunho de sua fé diante dos homens e dentro de poucas horas receberemos o testemunho de sua aprovação diante dos anjos!”

Constantino Ponce de La Fuente, pregador da Catedral de Sevilha, era um estudioso das doutrinas protestantes. O convento de São Isidoro era outro centro de divulgação e estudos do protestantismo, com isso, os monges começaram a ler mais as Escrituras e dar menos atenção às rezas e ritos tradicionais. O protestantismo também chegou às freiras de Santa Clara e as cistercienses de São Belém.

Quando o protestantismo começa a chegar aos leigos das comarcas, prepara-se a tormenta, alertados, os monges de Santo Isidoro resolveram fugir para Genebra. Entre eles: João Perez, Cassiodoro de Reina e Cipriano de Valera, grandes tradutores e incentivadores da Bíblia na Espanha.

Centenas de pessoas em Sevilha e Valhadolide foram levadas às prisões da Inquisição, a guarda foi reforçada para que o povo não libertasse os presos. Constantino de La Fuente o Pregador de Sevilha, teve suas obras descobertas e estava entre esses presos, logo após em outras cidades, a Inquisição também prendeu várias pessoas.

Os processos inquisitoriais duravam por muito tempo, fazendo com que muitos morressem devido às más condições dos cárceres, antes mesmo de receberem o veredicto final. Um dos casos mais famosos foi o de Constantino que morreu de disenteria em uma prisão imunda, os inquisidores então inventaram a falsa história que ele teria se suicidado ingerindo vidros.

Numero de mortes:

1559 – Valhadolide – 27 pessoas mortas, 32 castigas publicamente

1559 – Sevilha – 21 pessoas mortas, entre elas 4 monges de Santo Isidoro que não haviam fugidos!

1560 – Sevilha – 14 pessoas mortas.

Durante os próximos dez anos, os autos de fé da Inquisição se multiplicaram e a cada ano houve pelo menos uma dúzia de pessoas mortas.

Houve também outras penas como confisco de bens, prisão perpetua, vestir sambenito etc. Desse modo, as mortes e punições aos luternos na Espanha foi bastante grande.

Muitos protestantes acabaram fugindo em meio às perseguições e fundaram várias igrejas protestantes espanholas em Amberes, Estrasburgo, Genebra, Hesse e Londres. Esses exilados traduziam a Bíblia para o Castelhano. Em 1602 Cassiodoro, um dos monges que haviam fugido, teve sua versão da Bíblia publicada, que chegou a ser a versão das Escrituras mais usada entre os protestantes espanhóis até recentemente.

Referência

História Ilustrada do Cristianismo. A Era dos Reformadores até a Era Inconclusa. Justo L Gonzales. Vida Nova.2011

Anúncios

5 POLICIAIS SÃO MORTOS EM ATAQUE ARMADO DURANTE MANIFESTAÇÃO RACIAL; OS EUA CAMINHAM PARA UMA GUERRA CIVIL?

Por Libertar.in

Pelo visto a agenda marxista segue sendo estabelecida rapidamente, chegando ao ponto de se transformar em um conflito armado… estaria os EUA caminhando para uma guerra civil?

Cinco policiais morreram nesta quinta-feira (7) e outros sete ficaram feridos após franco-atiradores abrirem fogo contra agentes que acompanhavam uma manifestação contra a violência policial em Dallas, no estado do Texas (EUA).

Dezenas de pessoas protestavam pela morte de dois homens negros por policiais brancos nos estados da Luisiana e de Minnesota. Enquanto ocorria o protesto, os franco-atiradores dispararam contra os policiais. Veja no vídeo acima imagens do tiroteio.

Através de um comunicado, a polícia disse que, dos seis feridos, três estão em “estado crítico” e dois estão passando por cirurgia. Inicialmente, quatro policiais foram mortos por um ou mais “snipers”. Um morreu no hospital horas depois. Dois civis também ficaram feridos.

Segundo o chefe de polícia local, David Brown, três suspeitos foram detidos, entre eles uma mulher. Ele também exibiu uma foto de um homem com uma camisa camuflada carregando um fuzil.

Um quarto suspeito foi cercado em um estacionamento em Dallas, de onde gritou que espalhou bombas na cidade, disse a polícia. Segundo a CNN, esse suspeito está morto. Após ele mencionar os explosivos espalhados pela cidade, o aeroporto de Dallas entrou em estado de alerta e voos que chegariam à cidade foram desviados.

Brown disse ainda que não tinha a certeza se há mais pessoas envolvidas, além dos três presos e do homem que tinha ficado entrincheirado.

O presidente americano, Barack Obama, fez um pronunciamento na manhã desta sexta-feira (8). “Estamos horrorizados com as mortes em Dallas. Não há justificativa para os ataques”, declarou, segundo a CNN.

Policial para motorista no centro de Dallas, no Texas, após ‘snipers’ balearem agentes durante protesto (Foto: LM Otero / AP Photo)

De acordo com a polícia, os atiradores usaram posições elevadas, como prédios, para disparar contra os agentes com rifles ou fuzis. Testemunhas informaram que ocorreram dezenas de disparos. Vídeos na Internet mostram quando os tiros começaram, provocando pânico entre os manifestantes.

Equipes de emergência tratam de um ferido (Foto: Tony Gutierrez / AP Photo)

Violência policial

Centenas de pessoas participaram do protesto em Dallas, que terminou momentos antes do início do tiroteio, às 21h local (23h em Brasília), segundo a imprensa da cidade.

O protesto em Dallas foi uma das muitas manifestações nos EUA após a morte de dois homens negros em operações policiais, na Luisiana e em Minnesota nesta semana.

Philando Castile, de 32 anos, funcionário de um refeitório escolar, morreu na noite de quarta (6), após uma blitz na cidade de Falcon Heights, no estado de Minnesota.

Sterling foi baleado à queima-roupa por policiais que o dominaram no chão em Baton Rouge, Luisiana. Os últimos momentos de vida de Philando Castile foram gravados em um vídeo visto por dois milhões de pessoas nesta quinta.

Homem deita na rua e simula ação policial contra negros em Dallas (Foto: Laura Buckman / AFP Photo)

O presidente Barack Obama defendeu a reforma da polícia americana e reabriu o debate sobre o abuso da força policial nos EUA.

“Essa não é apenas uma questão negra. Não é apenas uma questão hispânica. É questão americana, com a qual todos nós deveríamos nos importar. Cabe a todos nós dizer que podemos fazer melhor do que isso. Somos melhores do que isso”, afirmou.