O protestantismo é o pai do Individualismo e do Estado Laico?

Resultado de imagem para reforma protestante imagens

Católicos tridentinos costumam colocar a culpa no protestantismo em tudo o que aconteceu de ruim no pensamento humano pós-reforma! Colocam na conta do protestantismo o ateísmo e até mesmo o satanismo! No caso do individualismo e do Estado Laico, são coisas que só quem as acha ruim é o próprio catolicismo tridentino, mas será mesmo que o protestantismo foi o iniciador delas? Só lembrando que no afã de querer manchar o protestantismo, os católicos tridentinos acabam caindo em muitas contradições! Uma delas é considerar Lutero uma hora como o pai do Fideísmo e outrora como o pai da racionalidade moderna iluminista! Passaremos analisar esses fatos:

Lutero foi o precursor do individualismo e do racionalismo iluminista?

A ideia propagada por alguns historiadores, de que Martinho Lutero teria sido o iniciador do individualismo  e do racionalismo, possuiu o intento já no século XIX de mostrar a Alemanha como a grande idealizadora da civilização moderna e de tudo de valioso que ela trouxe. Mas essa ideia (utilizada pelos tridentinos) não se ajusta à verdade histórica, pois Lutero atacou e muito o racionalismo, proferindo termos como a “porca razão”, e a  “rameira razão”.

Lutero dava muita importância à Igreja para ser acusado pejorativamente de individualista, os próprios renascentistas italianos e muitos Papas eram renascentistas, foram bem mais individualistas do que Lutero.

Lutero nunca quis acabar com a Igreja, apesar de sua intransigência e desobediência justificáveis em relação às autoridades da época. Lutero repetidamente chamou a Igreja de mãe. Embora pregando a doutrina bíblica do sacerdócio real, em que cada um é sacerdote e tem livre acesso ao Pai, Lutero nunca pregou o isolamento, mas sim uma vida cristã no meio de uma comunidade de fiéis. Na verdade a doutrina do sacerdócio real não visa abolir a Igreja, mas sim aumenta a sua necessidade em vista que agora cada crente é sacerdote dos demais.

Lutero nunca quis abolir os sacramentos, apesar de reduzi-los a dois: O batismo  e a ceia. Esses sacramentos oriundos diretamente de Cristo, só podem chegar até nós através da Igreja, assim pregava Lutero.

Portanto as acusações católicas contra Lutero não procedem e chegam até mesmo a ser contraditórias, devido a oposição entre racionalismo e fedeísmo, como já expliquei na introdução deste texto.

Sobre o Individualismo, A Revolução Industrial  e a Igreja:

A Revolução Industrial causou grande impacto sobre a economia mundial, fazendo com que as populações rurais corressem paras as cidades, onde encontrariam trabalho, já que suas terras também já eram usadas para a produção de matérias-primas para a indústria. Nas cidades os recém-chegados viviam em péssimas condições, rompendo os laços da família extensa (pais, filhos, tios, avós) a família estava se reduzindo à sua expressão mínima (pais e filhos) com a perda das tradições familiares. Cada pessoa passou a cada vez mais ser responsável por sua própria vida, ou seja, o individualismo se fortaleceu com a Revolução Industrial. Imagem relacionada

Podemos perceber que as acusações católicas contra o protestantismo ter criado o individualismo, partem da lógica que as igrejas ditas como pietistas não seguem  o modelo da Igreja Católica e nem mesmo das Nacionais Protestantes que obrigavam os cidadãos a ser membros dessas igrejas. Só que o individualismo como subjetividade mais aguçada, começa a se desenvolver na época da  Revolução Industrial, como já mostrei, ou seja, séculos após o nascimento das primeiras igrejas pietistas como a Batista, Presbiteriana e Metodista.

É lógico que o individualismo, que já crescia desde a Revolução Francesa, favoreceu o crescimento dessas igrejas pietistas, em que os membros são membros por decisão própria e sustentam a Igreja, diferente das Igrejas nacionais que eram sustentadas pelo Estado e que obrigava os cidadão a ser membros dela. Foi a partir do pietismo que as grandes missões de evangelismo protestantes começaram e se expandir pelo mundo.

O Estado Laico

Os católicos tridentinos também acusam falaciosamente o protestantismo de ter originado o Estado Laico. Ressaltando também que o Estado Laico só é ruim para o próprio catolicismo. Mas o Estado Laico foi conseqüência das próprias guerras religiosas como a Guerra dos trinta anos entre católicos e protestantes e da perseguições católicas aos protestantes como foi a perseguição aos huguenotes na França e até mesmo de católicos contra católicos como foi a perseguição do catolicismo à corrente católica jansenista também na França. Quando falo em perseguição, inclui-se expulsões, prisões e mortes.

A partir daí, cada vez mais os pensadores, principalmente os iluministas, concluíram pelos fatos acontecidos, que era melhor separar a religião das questões de Estado. É certo também que o positivismo de Augusto Comte unido ao liberalismo econômico produziu um movimento anticatólico, até mesmo na América Latina em que o Clero ainda considerava a Espanha como o centro do Universo.

Voltaire, o famoso pensador iluminista, chegou a defender a causa protestante, não porque nutria simpatias pelo protestantismo, mas porque a perseguição católica aos protestantes lhe pareceu absurda e criminosa.

Resultado de imagem para Voltaire

Enfim, desde a Revolução Francesa em diante, tanto o catolicismo, quanto o protestantismo tiveram que se deparar com novas realidades políticas, econômicas, sociais e intelectuais, e enquanto o protestantismo procurou se adaptar a essa nova realidade, o catolicismo seguiu rumo contrário, sendo assim até a 1ª Guerra mundial. O certo é que na atualidade o catolicismo através do Vaticano II é mais progressista do que as idéias que os tridentinos combatem. Ou seja, os tridentinos além de falaciosos, são rebeldes à sua própria igreja.

Referência

História Ilustrada do Cristianismo. A Era dos Reformadores até a Era Inconclusa. Justo L Gonzales. Vida Nova.2011

Anúncios

Respondendo o “santo” Conde Lampreia!

Respondo ao cinismo do tal Conde Lampreia que foi pagar de vítima no seu canal de delinquentes, depois de ter xingado a minha mãe e ter feito outras baixarias no meu canal! Será que esse tal Conde sabe que eu moro no Maranhão e para dar um pulo em Belém é daqui para li? Assistam:

Igreja Católica vai “comemorar” 500 anos da Reforma Protestante!

Igreja Católica vai “comemorar” 500 anos da Reforma Protestante

Por Jarbas Aragão / GospelPrime

O que será que esse termo penitência quer enfatizar? Se a reforma surgiu principalmente depois que Lutero compreendeu através do Espírito Santo lendo o Livro de Romanos que para a Salvação não seria necessário penitência, nem martírio, como a Igreja católica pregava!

Segue a matéria:

O Vaticano continua firme em sua tentativa de aproximação com os outros ramos do cristianismo. O Simpósio Internacional e Interconfessional que ocorre esta semana em Roma, está sendo alarmado como “preparação aos 500 anos da Reforma Protestante”.

Comemorada no ano que vem, as celebrações do aniversário da Reforma encabeçada por Lutero em nada lembram as lutas do então frei católico contra a teologia papal vigente e a venda de indulgências. Foi por causa do movimento protestante que surgiram os evangélicos.

Curiosamente, o encontro deste ano promovido pelo Vaticano leva o nome de “Sinais de perdão – Caminhos de conversão – Prática de penitência: uma Reforma que interpela a todos”.

De acordo com a Radio Vaticana, o Simpósio foi aberto pela Embaixadora do Ano Luterano da Igreja Evangélica da Alemanha, Margot Kässmann. Ele lembrou aos presentes os eventos mais importantes previstos para o ano comemorativo. As conclusões dessa reunião serão posteriormente entregues ao cardeal Kurt Koch, que é presidente do Pontifício Conselho para a Unidade dos Cristãos.

O padre James Puglisi, Diretor do Centro Ecumênico Pro Unione, ressalta que “O objetivo é fazer algo em preparação aos 500 anos da Reforma de Lutero… a partir do ponto de vista da teologia sacramental, tomando como referência o tema do perdão, da conversão e da penitência”.

Na verdade, desde 1967 que católicos e luteranos travam um diálogo teológico constante. Ele já produziu documentos históricos como a Declaração conjunta sobre a Doutrina da Justificação, em 1999. Além dos católicos, assinaram a Federação Luterana Mundial, sendo acolhida também pelo Conselho Metodista Mundial, em 2006. “As Igrejas estão prontas para dar outros passos”, enfatiza Puglisi.

A participação do Papa Francisco nas reuniões de 31 de outubro, em Lund, Suécia, marcarão o lançamento conjunto da Igreja Católica e da Federação Luterana Mundial, de comemoração do 500º aniversário da Reforma. Para o Vaticano, esse será “um gesto simbólico e profundo em direção à reconciliação”.

Etapas do ecumenismo mundial

Essa aproximação com evangélicos não é o único passo do Vaticano para o ecumenismo mundial.

O papa Francisco já disse que cristãos e muçulmanos são “irmãos e irmãs viajando pelo mesmo caminho”. Em reunião com Bartolomeu I, um dos mais importantes líderes da igreja ortodoxa, falou sobre a tentativa de reunificação das duas vertentes do cristianismo, separadas há quase mil anos.

No último outubro, uma cerimônia no Vaticano reuniu líderes, de mais de uma dezena de tradições religiosas, incluindo sikhs e hindus. Francisco pediu na ocasião que “Todos os crentes, de todas as religiões, juntos, podemos adorar ao criador por ter nos dado o jardim que é esse mundo”.

No final, pediu que cada um fizesse orações, “conforme sua própria tradição religiosa” e conclamou aos representantes das diferentes fés presentes que pedissem ao “seu deus” que os fizesse “mais irmãos”.Perto da virada do ano, incluiu os ateus nesse grupo.

Recentemente lançou uma campanha de mídia onde afirma que membros de todas as religiões são “filhos de Deus”.