Papa Gregório, o Grande: Da grandeza política à baixeza do Purgatório!

Imagem relacionada

Gregório I é considerado um dos maiores Papas de todos os tempos. Nasceu em Roma por volta do ano 540. A Roma em que Gregório cresceu vivia sitiada pelos exércitos Godos, Lombardos e pelos próprios Generais de Constantinopla que tanto defendiam quanto tomavam a Cidade. Com tantas batalhas, muitos dos velhos monumentos de Roma foram destruídos, os aquedutos foram abandonados e inundações traziam epidemias para os moradores.

Antes de ser Papa, Gregório chegou a ser prefeito , depois decidiu ser monge e foi embaixador do Papa Pelágio durante seis anos na corte de Constantinopla. Ao retornar ajudou o seu antecessor à reorganizar a Cidade e mantê-la limpa perante às invasões, a peste e as inundações. Com a morte de Pelágio pela própria peste, depois de alguma relutância, e com o aval do povo e do Clero, Gregório assumiu o Papado.

Uma de suas primeiras medidas como Papa foi convocar toda a população da cidade para uma grande procissão de penitência, para pedir a Deus o perdão dos pecados e o fim da Praga. Conta-se que a Praga cessou e que Gregório fez um excelente sermão nesse dia.

Depois organizou a distribuição de alimentos aos necessitados, reconstruiu os aquedutos e as fortificações, organizou novamente as guarnições de soldados. Perante um novo ataque dos Lombardos e sem a ajuda dos exércitos de Constantinopla, Gregório se vu obrigado a negociar diretamente com os invasores, como se ele fosse também o representante civil de Roma. Gregório sem o apoio do Império se viu muitas vezes obrigado a atuar por conta própria, e por isso ele é considerado como o fundador do poder temporal do papado.

O Papado possuía uma série de territórios que recebiam o nome de “patrimônio de São Pedro”. O território compreendia  igrejas e palácios de Roma, seus arredores e terras que iam da Itália até a África. Gregório pôs as riquezas dessas terras em prol de alimentar o povo de Roma. Com o passar do tempo os sucessores de Gregório ficaram sendo os governantes da Cidade de Roma e arredores,  e algum tempo depois, um documento conhecido como Doação de Constantino fora forjado com o conteúdo de uma suposta doação desses territórios pelo Imperador aos sucessores de Pedro.

Além da Política, Gregório dava muito valor à Pregação, proibiu luxos e adotou medidas em prol do celibato eclesiástico que muitos não cumpriam. Suas tentativas de reformas eclesiásticas em outras regiões do  Império não tiveram muito sucesso,tentou, mas não conseguiu  acabar com o Donatismo na Igreja  Africana, e apesar do prestigio político entre os Francos, não conseguiu impedir os governantes de nomearem bispos para a Igreja.

Gregório produziu numerosos sermões e cartas, não foi um pensador de altas esferas,  conformava-se em ser um porta voz da antiguidade cristã, era discípulo fervoroso dos Escritos de Agostinho. Apesar de sua erudição na patrística, conviveu em uma época de ignorância e em certo grau aceitou participar dela. Considerava Agostinho infalível, e o que para o bispo de Hipona não passava de conjecturas, para Gregório passou a ser certeza.

O Purgatório   Resultado de imagem para purgatório

Agostinho se aventurou a dizer que talvez existisse um lugar onde os que morressem ainda em pecados, tivessem que passar por um processo de purificação antes de adentrarem ao Paraíso. Baseado nessa suposição de Agostinho, Gregório declara que verdadeiramente existe esse lugar, e começa a desenvolver a doutrina do Purgatório.

Gregório ensina que damos satisfação a Deus pelos pecados que cometemos, através de penitências que consistem em arrependimento, confissão e pena ou castigo. Com a absolvição sacerdotal, Deus confere o perdão ao penitente. Os que não fizeram suficiente penitencia por seus pecados, vão para o purgatório, onde passam por algum tempo antes de entrarem no céu. As missas oferecidas em seus nomes,  ajudam os mortos a saírem do purgatório.

Na Aceitação de várias crenças, superstições e lendas de época, Gregório recheou as suas obras de narrações sobre milagres, aparições de defuntos, anjos e demônios. Com o decorrer do tempo, os escritos de Gregório passaram a ter a mesma autoridade que tinha os de Agostinho, foi aí que então boa parte das crenças populares do século VI foram incorporadas à doutrina cristã.

Na época da Reforma,o papado já estava tão deformado ou corrompido que  o lema dos vendedores de indulgências era: “Tão logo uma moeda na caixa cai, a alma do purgatório sai”.

Referência

História Ilustrada do Cristianismo. Justo L. González.

Anúncios

A Igreja do massacre no Texas comemorava Festivais de Outono!

Resultado de imagem para festival de verão abobora imagens

Quando uma grande tragédia ocorre, sempre surge a questão  que se chama na Teologia de “ O problema do Mal”, ou seja, porque ocorrem catástrofes que atingem tanto pessoas ruins e inocentes ou “boas”? O ateísmo já bateu nessa tecla para tentar negar qualquer poder divino existente, e grandes apologistas já deram magníficas respostas, não quero tratar disso agora, mas confesso que acontecimentos como o ocorrido na Igreja Batista de Sutherland Springs nos deixa aquela pequena angustia e questionamento: Poxa, a Igreja não deveria ser um local protegido e blindada espiritualmente? Nós sabemos e acreditamos através da Palavra de Deus, que o inimigo só pode atingir um filho de Deus que está contrito com o Pai, se tiver a permissão de Deus, é assim que mostra o Livro de Jó. Observa-se que a Igreja atacada comemorava os tais festivais de outono  que tem ligações com o paganismo de origem Celta. O próprio Halloween é um festival desse tipo! É o que se pode ver nas fotos no seu perfil de Facebook! Eu não sei que “merda” de cultura pagã é essa dos EUA que a Igreja tem que se meter com pretexto de arrecadar fundos, brinquedos, sei lá! Quem tiver mais informações sobre isso comentem, eu não concordo, mas tem sempre o pessoal do “tem nada não”, “tem nada a ver”: Não vou mostrar as imagens em respeito às vitimas, deixo o link de fotos do face da igreja comemorando os tais festivais de outono:

https://www.facebook.com/pg/firstbaptistchurchsutherlandsprings/photos/?tab=album&album_id=1455330307890019

 

 

Especial 500 Anos da Reforma Protestante- Os Papas do Renascimento!

Resultado de imagem para papa borgia imagens

Desde o Papa Eugênio IV que se ocupou em embelezar a cidade de Roma, passando pelo período da Reforma Protestante, o pontificado romano encarnou os ideais que a Renascença defendia. Quase todos eram amantes das belas artes, e não mediam esforços para trazer os melhores artistas e dotar a cidade de Roma de palácios, igrejas e grandes monumentos. Muitos também tinham amor pelas letras e enriqueceram as bibliotecas do Vaticano. Porém, poucos deles, se preocuparam com a Reforma da Igreja. Quase todos se perderam no amor pelo luxo, pelo poder despótico e pelos prazeres sensuais: Vejamos uma breve história de alguns deles:

Nicolau V ( 1447-1455) Sucedeu a Eugênio IV – Tinha por meta fazer de Roma a capital intelectual da Europa, trazendo os melhores pintores e autores para a cidade. Sua biblioteca pessoal chegou a ser uma das maiores no século XV. Fortificou os muros da cidade e expulsou os seus opositores. Tentou organizar uma cruzada contra os turcos mas não obteve êxito, quanto à Reforma da Igreja, ele não fez nada.

Calisto III, sucessor de Nicolau V, foi o primeiro papa dos Bórgia. Sonhava em ser um grande príncipe secular, pretendia unir a Itália para empreender uma cruzada contra os turcos, tendo se dedicado mais à guerra do que com suas responsabilidades religiosas. Foi no seu pontificado que o nepotismo começou a se intensificar tornando endêmico. Tornou Cardeal seu neto Rodrigo, a quem seria mais tarde o infame Alexandre VI.

Piu II, foi o último do período a manter uma certa dignidade no cargo de Papa. Devido a ameaça dos turcos, também tentou organizar uma cruzada. Embora não tenha feito nada de extraordinário no seu pontificado, também não cometeu grandes erros ou absurdos.

Paulo II- oportunista, seu principal interesse era acumular riquezas, em particular jóias e obras de arte, era pomposo, amante do luxo. Mesmo sendo papa, manteve suas concubinas, que a corte também não reprovava. Mandou restaurar os arcos do Triunfo dos imperadores Tito e Sétimo Severo, e a estátua de Marco Aurélio. Morreu jovem de apoplexia, em conseqüência de seus excessos sexuais, de acordo com os relatos de cronistas da época.

Sisto IV – Comprou os cardeais com promessas e presentes e assim assumiu o papado. Durante seu pontificado o nepotismo e a corrupção chegaram a níveis alarmantes. Sua maior preocupação era enriquecer a sua família, em particular os cinco sobrinhos. Um deles mais tarde seria o papa Júlio II. Toda Itália foi envolvida em guerras cujo o único objetivo era enriquecer os sobrinhos do papa. Esse papa chegou a excomungar toda a cidade de Florença por causa de uma trama feita por um de seus sobrinhos contra um dos Médici, também impôs o monopólio do trigo em todos os territórios papais onde os melhores pães iam para as arcas papais e o povo recibia o pão que o diabo amassou. Apesar de tudo isso, a história conhece Sisto IV como o mecenas que mandou edificar a Capela Sistina, assim chamada em sua homenagem.

Inocêncio VIII – Depois de eleito, quebrou a jura que não nomearia mais de um cardeal de sua família e que poria a sé romana em ordem. Alegou que o poder do papa era supremo, e por isso não precisava se sujeitar a nenhuma promessa. Foi o primeiro papa a reconhecer seus vários filhos ilegítimos, que cobriu de honras e riquezas. Com ele a venda de indulgências se tornou um negócio lucrativo e vergonhoso sob a liderança de um de seus filhos. Em 1884 queimou centenas de mulheres sob acusação de bruxaria. Essa foi sua medida para reformar a vida religiosa.

Rodrigo Bórgia – Também comprou os cardeais e foi eleito papa, com o nome de Alexandre VI.Com ele o papado chegou no ponto culminante de sua corrupção. Com ele o povo lamentava:  “Alexandre joga fora as chaves, os altares e até o Cristo. No fim das contas ele tem esse direito, pois os comprou”. Suas concubinas que também eram esposas de seus subalternos, deram-lhe filhos que Alexandre reconheceu como tais. Os mais famosos foram César e Lucrécia Bórgia. Mesmo não se tendo certeza de todos os  crimes e incestos que contam dessa família, a corrupção sem limites e as guerras que essa família causou, banharam a Itália em sangue e mancharam o papado como nunca antes.

A Reforma Protestante irrompe no pontificado de Leão X. Seu grande sonho foi completar a basílica de São Pedro, por esse motivo e por motivos militares intensificou a prática das indulgências.

Referência

História Ilustrada do Cristianismo. A Era dos mártires até a Era dos Sonhos Frustrados. Justo L. González. Vida Nova.

Palpitando sobre Max Weber, religião e capitalismo!

Resultado de imagem para max weber

Já que muita gente tem palpitado sobre Weber e alguns dos seus pensamentos, eu também vou dar o meu! O cerne do pensamento de Weber quanto à religião e desenvolvimento do capitalismo é esse mesmo e não dar para fugir, de que o protestantismo foi um catalizador do capitalismo! Weber faz um juízo de valor disso? A meu ver não! Ele apenas está fazendo uma análise! Diferente de Marx que crítica e tenta dar uma solução!

Nesse caso, o pensamento de Weber parte da Reforma e de seu principal nome: Martinho Lutero, como o pensador e agente que dá um novo rumo à sociedade substituindo as práticas ascéticas dos conventos para um novo modo de ascetismo inserido na sociedade que se caracterizaria principalmente com disciplina na vida cotidiana e no trabalho. Ou seja, com Lutero a chamada Vocação deixa de ser uma Vocação sacerdotal para se tornar uma Vocação profissional.

Como uma espécie de evolução lógica, o pensamento Weberiano prossegue com Calvino que a partir da sua famosa doutrina da predestinação dá passos rumo a uma racionalização da vida cotidiana como uma espécie de garantia de Salvação! Já que a Salvação só pertence a Deus, o ser humano tinha que se garantir com uma vida disciplinada e austera principalmente com relação ao seu lado profissional.

Weber também analisa outros ramos do protestantismo, considerados seitas que é aquele ramo religioso que tenta se isolar cada vez mais do mundo que o cerca como os anabatistas, quarkers e outros e encontra nesses grupos ainda mais rigidez e disciplina com relação à vida e ao trabalho.

Aqui faço uma crítica ao pensamento de Weber, que  como uma espécie de cientista neutro, sua análise é boa mas não completa, pois ele não consegue perceber que todos esses grupos protestantes analisados por ele, não agiram assim por insight e nem criaram ou inventaram condutas que não fossem bíblicas! Todos eles, a partir do momento em que tinham contato com as Sagradas Escrituras que teve muito tempo só na mão do Clero Romano, iam assimilando versículos como esses:

 “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo a prudência.” Pv 9:10

Vai ter com a formiga, ó preguiçoso; olha para os seus caminhos, e sê sábio.
Pois ela, não tendo chefe, nem guarda, nem dominador,
Prepara no verão o seu pão; na sega ajunta o seu mantimento.
Ó preguiçoso, até quando ficarás deitado? Quando te levantarás do teu sono?
Um pouco a dormir, um pouco a tosquenejar; um pouco a repousar de braços cruzados;
Assim sobrevirá a tua pobreza como o meliante, e a tua necessidade como um homem armado.
Provérbios 6:6-11

Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.
Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.
1 João 2:15,16

A Bíblia toda é uma pregação para a Santificação, ou seja, para a Separação do mundo, também para o bom testemunho! E isso foi o que moldou o pensamento dos protestantes!

A Doutrina católica condenava a ambição do lucro e da usura. Para os calvinistas a prosperidade era o prêmio de uma vida santa. O mal não se encontrava na posse da riqueza,, mas no seu uso para o prazer, o luxo e a preguiça. Toda essa doutrina levou o costume na sociedade americana de que muitos milionários não legassem suas fortunas aos seus descendentes como meio de impeli-los ao esforço produtivo. Por esse  mesmo espírito, as taxações sobre herança nos EUA são bem pesadas! Diferente do Brasil!

Quanto à questão se os países protestantes seriam mais ricos do que os países católicos, é porque todos esses valores em que os empresários se sentiam abençoados por produzirem riquezas foram encontrados por Weber mais maçiçamente nos EUA, na Holanda e na Alemanha! Por outro lado, Weber adverte ter analisado apenas uma das possíveis relações entre o protestantismo e a cultura contemporânea e que existem outras análises como o materialismo de Marx.  O autor também diz que o capitalismo moderno já não necessita mais do suporte de qualquer força religiosa e se sente que a influencia da religião sobre a vida econômica é tão prejudicial quanto a regulamentação pelo Estado.  Ou seja, o capitalismo libertou-se de um espírito religioso e a busca de riquezas hoje é totalmente voltada ao prazer mundano.

Referência

Um toque de Clássicos. Durkheim, Marx e Weber

Bíblia Sagrada Online

A tara pela idade média de certos “catoleigos”- Lutero esmaga Aristóteles

Resultado de imagem para lutero x aristoteles

Esse saudosismo pela Idade Média  de muitos católicos malucos de internet, eles são malucos não são fanáticos, se eles fossem fanáticos eles iriam à missa, rezavam o terço, se confessavam, devolviam o dizimo e etc…  Não é nada mais que uma birra ou raiva a Lutero, já que foi Lutero que pôs fim a Idade Média no que se refere a unidade da fé, iniciando-se com ele importante fase do mundo moderno. Por conta disso,  esses papagaios ficam só  no mundo virtual perturbando com “avatarzinho” de  Vasco da Gama, Cruz de Malta, cavaleiro medieval etc…

Os principais escritos de Lutero são:

Comentário à carta aos Romanos; As noventa e cinco Teses sobre as indulgências; As vinte e oito teses relativas à Disputa de Heidelberg; Apelo à nobreza cristã de nacionalidade alemã pela reforma do culto cristão; O cativeiro babilônico da Igreja; A liberdade do cristão; Servo arbítrio, contra Erasmo, em 1525.

Vamos então à crítica de Lutero às Universidades de sua época que se baseavam sobretudo nas leitura e nos comentários a Aristóteles:

“[…] as universidades também precisam de boa e radical reforma. Tenho que dizê-lo, amargure-se quem quiser. Tudo que o papa ordenou e instituiu dirigi-se verdadeiramente para aumentar o pecado e o erro. O que são as universidades? Pelo menos até agora, foram instituídas para ser apenas, como diz o livro de Macabeus, “ginásios de efebos e da glória grega”, nos quais se leva vida libertina, pouco se estuda a Sagrada Escritura e a fé cristã e reina apenas o cego e idólatra mestre Aristóteles, até mesmo acima de Cristo. O meu conselho seria de que os livros de Aristóteles, Physica, Metaphysica, De anima e Ethica,, que até agora são reputados como os melhores, fossem abolidos juntamente com todos os outros que falam de coisas naturais, já que não é possível aprender nada das coisas naturais, nem das espirituais, nesses livros: ademais, até agora, ninguém conseguiu compreender a sua opinião; muitas gerações e nobres almas foram inutilmente oprimidas com vão trabalho, estudo e despesas. Posso até dizer que um paneleiro tem mais conhecimento das coisas naturais do que aquilo que está escrito em livros de tal feitura. Dói-me o coração saber que aquele maldito, presunçoso e astuto idólatra tenha desencaminhado e enganado com suas falsas palavras tantos entre os melhores cristãos; nele, Deu nos enviou uma praga para nos punir de nossos pecados. Com efeito, aquele desgraçado ensina em seu melhor livro, De anima, que a alma morre com o corpo, embora muitos tenham querido salvá-lo; como se não possuíssemos a Sagrada Escritura, que nos ensina abundantemente todas as coisas das quais Aristóteles nunca sequer ouviu falar. E, o entanto, aquele falecido idólatra venceu, expulsou e quase espezinhou o livro do Deus vivo, de tal modo que, pensando em semelhantes desventuras, não posso acreditar em outra coisa senão em que o espírito do mal tenha cogitado do estudo com esse propósito. O mesmo vale também para o livro da Ethica, mais torpe que qualquer outro, que se opõe inteiramente à graça divina e às virtudes cristãs e, no entanto, é tão considerado. Oh! Longe, bem longe dos cristãos tais livros! Que ninguém me conteste que falo demais ou me censure por nada saber. Caro amigo, sei muito bem o que estou dizendo! Conheço Aristóteles tão bem quanto tu e teus semelhantes, pois o li e ouvi com maior atenção do que a santo Tomás ou Escoto, do que posso muito bem me vangloriar, sem presunção, a até, se necessário, demonstrá-lo. Não me importa que, durante tantas centenas de anos, tantos intelectos sublimes se tenham debruçado sobre ele. Tais argumentos não me preocupam, porque está claro que, embora eles tenham feito alguma coisa, todavia, tantos erros permaneceram por tantos anos no mundo e nas universidades” (trecho citado de Martinho Lutero, Scritti politici, org, por G. Panzieri Saija, introdução de L.Firpo, UTET,Turim)

Precisa dizer mais alguma coisa?

Referência

História da Filosofia: Do humanismo a Kant/Giovanni Reale, Dario Antiseri; São Paulo: Paulos, 1990. V2 Coleção Filosofia.

Fideísmo, ateísmo e catolicismo

Imagem relacionada

Há uma falácia católica propagada por aí que diz que quando um neo-ateu ataca o cristianismo na verdade está atacando a fé protestante. Falácia porque o que vemos não é isso, é público e notório que os ateus atacam é a história das Cruzadas, a história da inquisição, os pecados papais, o homossexualismo dos padres, o dinheiro do Vaticano, a idolatria aos santos e etc… Mas aí os católicos dizem que isso é espantalho da fé católica! Só que são Fatos históricos que só tiveram defesa devido a um revisionismo histórico do catolicismo americano sobre esses temas que é coisa recente e que começou no Brasil com o astrólogo Olavo de Carvalho que faz isso com o objetivo de angariar fiéis para a sua seita e encontrou na idolatria católica de internet terra fértil!

Hoje umas das principais críticas desses católicos de internet que nunca nasceram de novo e que não possuem nenhum fruto a não ser frutos podres iguais a eles que xingam, bebem, fumam, mentem e se prostituem é que o fideísmo do protestantismo é que leva ao ateísmo. Dizem que o fideísmo é apenas uma espécie de sentimentalismo barato nada racional. A verdade é que o fideísmo protestante é um cristianismo alicerçado na própria fé como já diz o nome.  Os católicos dizem que o seu cristianismo é alicerçado na fé e mais ainda na razão. E essa razão seria a razão da tradição grega. Aí eu faço a seguinte pergunta: Qual razão? A platônica de Agostinho ou a aristotélica de Aquino? Sendo que ambas são contraditórias entre si.

O que é observado na história da Filosofia é uma idéia ou sistema sendo substituído por outro e por outro até que os filósofos existencialistas decretaram a morte da razão e junto com ela a morte de Deus, ou seja, pela lógica o ateísmo matou o Deus católico que é alicerçado na razão grega e não o Deus protestante que é alicerçado na fé. Jesus já alertava sobre esse tipo de alicerce:

“Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha;
E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha.
E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia;
E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda.”
Mateus 7:24-27

Outra lorota católica é que os grandes expoentes do neoateísmo como Sam Harris, Resultado de imagem para william craig imagensChristopher Hitchens, Richard Dawkins também criticam apenas o que seria um cristianismo protestante, mas o que eles não falam é que o grande combatente que mete terror nesses neoateus famosos é o mais famoso ainda apologista protestante William Lane Craig, e outros apologistas cristãos contemporâneos contra o ateísmo também são de maioria protestante como Lee Strobel, Ravi Zacharias, e Norman Geisler.

Vale ressaltar ainda que esses apologistas protestantes sabem muito bem usar a razão, (sendo muitos deles antifideístas também) para destruir argumentos do neoateismo militante ou delirante, porque não se pode confundir racionalismo grego ou filosófico com o uso do raciocínio que Deus deu a raça humana, é mentira ou exagero que o protestante seja  100% contra ao racionalismo, sabemos muito bem que o mundo é inteligível porque foi Deus que criou tanto a raça humana quanto o universo.

Dá para perceber pelas Escrituras que o maior Fideísta cristão de todos os tempos foi o próprio Apostólo Paulo, veja o que ele escreve:

“Porque Cristo enviou-me, não para batizar, mas para evangelizar; não em sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo se não faça vã.
Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus.
Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, E aniquilarei a inteligência dos inteligentes.
Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo?
Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação.
Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria;
Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos.
Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus.
Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.
Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados.
Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes;
E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são;
Para que nenhuma carne se glorie perante ele.
Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção;
Para que, como está escrito: Aquele que se gloria glorie-se no Senhor.”
1 Coríntios 1:17-31

E mais:

“E eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria.
Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado.
E eu estive convosco em fraqueza, e em temor, e em grande tremor.
E a minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder;
Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus.”
1 Coríntios 2:1-5

O próprio Jesus elevou a fé a um dos maiores poderes que o homem pode ter:

20 E Jesus lhes disse: Por causa de vossa incredulidade; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível.

Na revelação a fé só é menor do que o amor:

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.
1 Coríntios 13:13

Então a Fé é apenas algo sentimental? Vejamos o que nos diz o escritor de Hebreus:

“Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem.
Porque por ela os antigos alcançaram testemunho.
Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.”
Hebreus 11:1-3

Resultado de imagem para Fé imagens

O desprezo católico ao fideísmo é um desprezo a própria Palavra de Deus que diz que:

O justo viverá da Fé e que sem fé é impossível agradar a Deus!

Explico porque os católicos têm raiva da Fé: Primeiro porque existe a polêmica da salvação por fé e por obras, segundo porque Lutero também atacou toda a Filosofia de Aristóteles sendo que Lutero tinha todo crédito para isso, sendo ele um dos maiores entendidos na Filosofia aristotélica até os dias de hoje.

Ligando os pontos da raiva católica temos:

Resultado de imagem para lutero imagensLutero = Salvação por fé e contra Aristóteles! Então por isso os católicos endeusam a razão igual os iluministas e ainda dizem que são opostos! Nesse pacote, os católicos odeiam todos os outros pensadores, sendo teólogos ou filósofos que fazem um “elogio da loucura”, ou seja um elogio da mensagem da Cruz!

O cristianismo católico é um andrógeno, é salvação por fé e por obras, mais por obras, é um alicerce na fé e na razão, mais na razão, é desconsideração da Bíblia por uma suposta tradição, mas sempre com a mesma lorota que foram eles os guardiões da Bíblia, uma falácia que se verifica primeiro porque as Igrejas dos primeiros concílios não era a católica romana, segundo não foi a Igreja que criou os livros, apenas delimitou oficialmente o que as Comunidades já aceitavam na prática e é por isso que podemos confiar que os livros que estão na Bíblia de Zíper é a Palavra de Deus e não porque uma igreja que não permitia a leitura da mesma nas línguas locais guardou essa palavra, não é mesmo Padre Gargamel? E mesmo que fosse verdade que a Igreja católica romana tivesse dado a Bíblia ao mundo, foi o protestantismo que deu acesso a ela nas línguas locais.

A questão do protestantismo  e seu fideísmo  levar  ao ateísmo não pode ser verdade, já que o movimento ou momento filosófico atual é a chamada pós-modernidade, movimento que sepultou a razão e declarou que tudo é permitido e tudo e relativo. Movimento que ganhou força depois das 2 grandes guerras mundiais que foram a representação maior da derrocada da razão que no sonho iluminista e parece que católico iria emancipar o homem e a humanidade da barbárie, mas acabou culminando em duas bombas atômicas e agora o pós – modernismo vigora, contudo essas vãs filosofias podem até dá um baque na razão, mas nunca poderão sufocar a fé e o amor que na visão contraditória católica são sentimentos perigosos que podem levar ao ateísmo.

A verdade é que esse pensamento católico de “fé na razão” lembra muito o pensamento maçônico que visa criar uma religião racional,uma emancipação do homem através do iluminismo, das luzes que é a razão. No Concilio do Vaticano II já temos a união oficial entre igreja católica e maçonaria, catolicismo e ateísmo.

Concluindo, esse modo de cristianismo católico não leva à pratica nenhuma, não traz mudança de vida, forma apenas raivosos de internet que não demonstram frutos, que não possuem nenhum testemunho na sua rua, no seu bairro, porque não há conversão, não há novo nascimento nesse tipo de religião, são pessoas que se dizem religiosas mas continuam bebendo, fumando, xingando e se prostituindo, diferente do irmãozinho protestante humilde que não conhece Aristóteles ou Platão, mas que todo mundo percebeu sua mudança de vida na comunidade, porque antes roubava, mentia, traficava, se prostitui-a, mas agora pela fé aceitou Jesus como Senhor e Salvador da sua vida e produz muitos bons frutos através de seu testemunho.