Denzel Washington fala sobre a sua fé!

Resultado de imagem para denzel washington eli imagens

O ator norte-americano Denzel Washington que está divulgando seu no filme intitulado “Cercas” tem falado também muito sobre sua fé! Eles nos conta que já possui muitos bens materiais e agora viverá para servir a Deus e a sua família! No seu testemunho ele conta também que foi batizando no Espírito Santo ainda muito jovem! Assistam!

Veja também:

Anúncios

Nove entre dez brasileiros atribuem a Deus sucesso financeiro

Imagem relacionada

Por Tiago Abreu / GospelPrime

Segundo Datafolha, até ateus creditam ao Criador sucesso nas finanças

O Datafolha, instituto de pesquisas pertencente ao Grupo Folha, realizou uma pesquisa com mais de 2 mil brasileiros em 174 municípios, acerca da relação entre a fé e o sucesso financeiro.

Os resultados, divulgados pelo jornal Folha de S.Paulo, apontam que nove entre cada 10 brasileiros concordam com a frase “Todo o sucesso financeiro da minha vida eu devo, em primeiro lugar, a Deus”, utilizada na pesquisa. Relacionadas:

https://exateus.com/2016/10/01/estudo-mostra-que-evangelicos-nao-conhecem-sua-fe/

https://exateus.com/2016/09/14/a-diferenca-que-a-biblia-faz-na-vida-dos-jovens/

https://exateus.com/2015/09/16/quantos-cientistas-creem-em-deus/

https://exateus.com/2015/12/11/estudo-mundial-mostra-relacao-entre-religiao-e-ciencia/

Os índices foram altos em vários grupos. Entre os religiosos, a concordância com a afirmação superou mais de 90% das respostas. 70% dos que se declararam sem-religião, por sua vez, também concordam de que a questão econômica tem relação direta com a fé.

O dado mais curioso, no entanto, foi que, do grupo dos ateus, ou de pessoas que declararam não acreditar em Deus, dos que se declaram sem-religião, 23% concorda com a frase de que a vitória no campo financeiro deve-se a Deus.

Com base nos resultados do estudo, foi considerado que quanto menor é a renda e a escolaridade, maior são as chances de um indivíduo concordar com a frase utilizada pelo Datafolha.

Em contrapartida, o nível de concordância entre pessoas com formação superior também foi alto: 77% dos indivíduos com alguma espécie de graduação concordam com o impacto divino nas questões econômicas, assim como sete entre 10 pessoas com renda acima de dez salários mínimos.

A frase “As pessoas pobres, em geral, não têm fé em Deus, e por isso não conseguem sair dessa situação”, no entanto, alcançou resultados mais díspares. O nível de concordância atingiu níveis maiores entre populações mais pobres e dentre os de renda mais alta, a frase não alcançou sinais de consenso.

Da mesma forma, as origens da pobreza é questão de motivos diferentes entre católicos e protestantes. Segundo o Datafolha, evangélicos costumam acreditar mais que a pobreza é motivada pela falta de fé.

Estudo mostra que evangélicos não conhecem sua fé

Resultado de imagem para bíblia imagens

Por Jarbas Aragão / GospelPrime

Eu já tinha escrito sobre a instabilidade dos jovens quanto à sua fé. A mentalidade pós-moderna está penetrando na religião cristã e cria uma doutrina religiosa pluralista que diz que “todos os caminhos levam a Deus” e que toda religião se equivale, no entanto, isso não é “verdade”, vejamos:

https://exateus.com/2016/01/26/o-pos-modernismo-e-uma-filosofia-contraditoria-covarde/

https://exateus.com/2016/08/19/todas-as-religioes-sao-verdadeiras-sendo-assim-todas-levam-a-deus/

https://exateus.com/2016/09/14/a-diferenca-que-a-biblia-faz-na-vida-dos-jovens/

https://exateus.com/2015/06/16/resposta-a-5a-objecao-e-ofensivo-afirmar-que-jesus-e-o-unico-caminho-para-deus/

https://exateus.com/2016/08/14/religiao-e-so-uma-questao-de-fe-nao-e-bem-assim/

Sobre as crenças das denominações dê uma olhada:

https://exateus.com/2016/09/28/os-tipos-de-cristaos-suas-fraquezas-e-seus-acertos/

https://exateus.com/2016/09/27/charles-finney-o-homem-que-redefiniu-o-carater-dos-estados-unidos/

Segue a reportagem:

O quanto um evangélico médio conhece sobre a doutrina cristã básica? Na tentativa de responder a esta questão, o Instituto LifeWay Research e os ministérios Ligonier fizeram uma análise da percepção teológica com 3.000 cristãos adultos, de diferentes denominações.

Foram apresentadas 47 declarações sobre teologia e eles precisavam dizer “concordo”, “discordo” ou “não sei”. Os assuntos iam desde a divindade de Cristo até a importância de se frequentar uma igreja regularmente.

Inquirição similar foi feita dois anos atrás pelos mesmos ministérios, que constataram que não houve uma mudança significativa desde então. Cerca de dois terços (64%) dos evangélicos norte-americanos dizem que Deus aceita igualmente a adoração de cristãos, judeus e muçulmanos.

Um percentual pouco maior (65%) concordou totalmente ou parcialmente que há só um Deus verdadeiro, que ele é perfeito, e que ele ainda responde às orações (66%).

Embora o conceito do que é um “evangélico” possa variar muito, apenas 586 dos entrevistados concordaram que a Bíblia é a maior autoridade para a fé cristã, o evangelismo pessoal é muito importante, a morte de Jesus na cruz foi a única maneira de cancelar a penalidade do pecado e que é preciso crer em Jesus como único caminho para a salvação eterna. Os demais não aceitam todas essas declarações como verdadeiras.

Os resultados finais da pesquisa mostram que existe muita confusão sobre conceitos elementares da confissão de fé básica do cristianismo ao longo dos séculos. Em outros tempos, fazer tais afirmações seria suficiente para que a pessoa fosse considerada um “herege” e não pudesse mais ser contada entre os membros da igreja local.

Em especial nas declarações sobre Jesus ser completamente divino, o Espírito Santo não ser percebido como pessoa, e que a salvação depende de um esforço dos seres humanos.

Praticamente todos os evangélicos entrevistados concordaram que existe um verdadeiro Deus que subsiste em três pessoas (97%), que ele é perfeito (97%), e que responde às orações (94%). Contudo, o percentual de dúvida sobe drasticamente quando se pergunta sobre a natureza de Jesus. Sete em cada 10 dizem que ele foi a primeira e maior criação de Deus (71%).

Esse tipo de debate no início da era da Igreja criou a necessidade de se fazerem concílios, consultas formais com autoridades eclesiásticas para se tomar decisões que seriam normativas. Por exemplo, a questão da ‘origem’ de Jesus foi encerrada no ano 325, com o Credo Niceno, o qual afirma que Jesus “gerado unigênito do Pai, isto é, da substância do Pai”.

A crença de que Jesus foi criado e não é Deus chama-se Arianismo, por causa do padre Ário, que viveu no século IV e argumentava a partir de alguns versículos da Bíblia a ideia de Trindade. Esse pensamento subsiste até hoje em seitas como os Testemunhas de Jeová.

Quando se fala sobre o Espírito Santo ser uma força e não uma pessoa também comete-se um erro básico de entendimento da doutrina da Trindade. Essa questão foi encerrada no Concílio de Constantinopla, em 381, que gerou adições ao Credo Niceno para esclarecer a questão.

A fórmula do “Credo”, recitada em muitas igrejas católicas e evangélicas mais tradicionais mantém uma tradição milenar de instrução dos cristãos em todos os cultos.

Entretanto, não existem apenas dúvidas quanto a natureza divina. Com um forte apelo para a salvação da alma nos cultos, os evangélicos nem sempre compreendem de modo aprofundado o que envolve o famoso “aceitar a Jesus”.

O Livro de Romanos aborda vários aspectos do que acontece quando alguém deseja se converter. Mesmo assim as Igrejas ainda divergem sobre o papel que o homem tem nesse processo. Muito antes das controvérsias entre calvinistas e presentes em muitas denominações até hoje, no século V um monge chamado Pelágio ensinava que as pessoas podem escolher a Deus por sua própria vontade.

Esse pensamento foi combatido e condenado nos Conselhos de Cartago (em 418) e Éfeso (em 431). Uma versão mais suave de seis ensinamentos rejeitados categoricamente pelo Conselho de Orange, em 529.

A resposta sincera de um ateu sobre a 2ª Lei da Termodinâmica

Resultado de imagem para termodinâmica imagens

A 2ª Lei da Termodinâmica também é conhecida como lei da entropia, que diz que com o tempo as coisas naturalmente se desfazem. Seguindo esse aspecto da lei, podemos perceber que o Universo teve um começo, pois a desordem do mesmo, indica uma ordem original. Uma vez que ainda se tem energia utilizável, o Universo não pode ser eterno, porque, se fosse, teríamos chegado na completa desordem (entropia) no presente.

Mais aqui:

https://exateus.com/2015/08/28/a-segunda-lei-da-termodinamica-e-o-comeco-do-universo

Norman Geisler (famoso apologista cristão) nos informa que em uma conversa informal com um professor de física que se declarava cético em relação ao começo do Universo  e materialista, fez a seguinte pergunta, seguindo o diálogo:

– Se a matéria é eterna, então o que você faz com a segunda lei? – perguntou ele ao professor!

– Toda lei tem uma exceção. Essa é a minha exceção.

– Se tudo é material – perguntou – então o que é a teoria científica? Além do mais, toda teoria sobre qualquer coisa material não é material; não é feita de moléculas.

– Sem hesitar por um momento, ele disse com certa ironia:

– A teoria é mágica.

– Mágica? – repetiu, Norman, não acreditando naquilo que estava ouvindo – Qual a base para você dizer isso?

– Fé – respondeu ele imediatamente.

“Fé na mágica”? Pensei comigo mesmo. “Se a fé na mágica é a melhor coisa que os materialistas têm a oferecer, então eu não tenho fé suficiente para ser materialista”!

O professor foi sincero, sabia que não poderia responder à fortíssima comprovação que apóia a segunda lei e, então, admitiu que sua posição não tinha base na comprovação ou na razão. Ao agir assim, ele deu mais um exemplo da falta de disposição em acreditar naquilo que a mente julga como verdadeiro e de como a visão dos ateus é baseada apenas na fé.

Referência

Não tenho fé suficiente para ser ateu. Norman Geisler & Frank Turek

A Fé do ateu precisa ser maior do que a do crente:

  1. As evidências científicas confirmam claramente que o Universo passou a existir de uma explosão surgida do nada. Deus criou algo do nada (visão cristã) ou ninguém criou alguma coisa do nada (visão ateísta) Qual visão é mais plausível? A visão crista. Qual visão exige mais fé? A visão ateísta.
  2. A forma de vida mais simples possui uma quantidade de informações equivalente a mil enciclopédias. Os cristãos acreditam que Deus criou uma forma de vida simples equivalente a mil enciclopédias. Os ateus acreditam que forças naturais não inteligentes agindo ao acaso originou as primeiras formas de vida. Uma vez que falta evidência para a suposição ateia, sua crença exige muito mais fé.
  3. Centenas de anos antes, escritos antigos predisseram a vinda de um homem que seria verdadeiramente Deus. Esse homem-Deus, segundo as escrituras, nasceria em Belém de Judá, da descendência do Rei Davi, sofreria de uma maneira característica, morreria em um tempo determinado e ressuscitaria dos mortos para expiar os pecados do mundo. Após todo o acontecido, várias testemunhas proclamaram e registraram que aqueles fatos preditos haviam realmente acontecido. Essas testemunhas oculares (discípulos) suportaram perseguição e morte, embora pudessem simplesmente negar os fatos e preservar a vida. Milhares de pessoas em Jerusalém converteram-se depois de ver e ouvir esses fatos, e essa fé rapidamente se espalhou pelo mundo antigo. Historiadores e escritores antigos fazem menção a esse fato, e a arqueologia corrobora com todos eles. Ateus precisam de muita mais fé para invalidar as profecias, as testemunhas oculares, a disposição dos apóstolos em sofrer e morrer, a origem da igreja cristã, o testemunho de outros escritores, e de achados arqueológicos.

Referência

Eu não tenho fé suficiente para ser ateu. Norman Geisler & Frank Turek

Religião é só uma questão de fé? Não é bem assim!

A afirmação de que a religião é simplesmente uma questão de fé é apenas mais um mito moderno. Embora a religião requeira fé, religião não está ligada somente a fé. Os fatos também são fundamentais para todas as religiões, incluindo o ateísmo, e muitos desses fatos podem ser verificados por meio de investigação científica e histórica.

As principais religiões monoteístas (cristianismo, islamismo e judaísmo) afirmam que o Universo teve um começo, enquanto muitos ateus e panteístas (budismo e hinduísmo) dizem que o Universo é eterno. Essas afirmações são mutuamente excludentes. Um dos grupos citados está com a razão.

A famosa ressurreição de Cristo é outro exemplo. Os cristãos afirmam que Jesus ressuscitou ao terceiro dia de sua morte, enquanto os muçulmanos dizem que Jesus nem mesmo morreu. Mais uma vez têm-se aqui duas visões mutuamente excludentes. Como podemos saber qual delas é a correta? Avaliando à comprovação histórica de cada uma dessas afirmações.

A ciência também acaba abordando os mesmos assuntos religiosos, exemplos: De onde veio o Universo? Como surgiu a vida? Os milagres são possíveis? Em outras palavras, ciência e religião não são categorias opostas como muitos sugerem.

Logicamente, nem todas as afirmações religiosas podem ser comprovadas científica e historicamente. Todavia, a validade de muitas crenças religiosas pode ser verificada e provada com um alto grau de certeza.

Referência

Não tenho fé suficiente para ser ateu. Norman Geisler & Frank Turek

Mensagem – O Pão da Vida e a Fé

Em Jo 6:35, Jesus afirma: “Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome”. A multidão ficou maravilhada com a multiplicação dos pães e peixes operada por Jesus e agora seguia Jesus onde quer que Ele fosse. Mas Jesus sabia a intenção do coração dessas pessoas e disse-lhes: “Na verdade, na verdade vos digo que me buscais não pelos sinais que vistes, mas porque comestes do pão e vos saciastes. Jo 6.26

Jesus tinha o conhecimento que as pessoas não o buscavam porque entenderam que ele era o Messias, mas só estavam interessadas em benefícios materiais.  Hoje, não é diferente grande parte das pessoas só querem saber da “benção”, mas não querem sabe do “Abençoador”! Por isso vivem mudando de igreja, indo atrás de profetas de “sapatinhos de fogo”, buscando só bênçãos materiais, procurando barganhar com Deus.

As pessoas pediram mais sinais (milagres) a Jesus para acreditarem que Ele era o Messias, embora já tivessem visto o milagre da multiplicação, disseram que Moisés havia alimentado seus pais no deserto como o Maná do céu. Segundo uma tradição, O Messias faria cair maná do céu como Moisés.

Jesus corrigiu a multidão e disse que o Maná não veio de Moisés, mas foi Deus que o enviou. E que agora Deus havia enviado o Verdadeiro pão do céu que dá vida ao mundo. O maná supriu as necessidades físicas por algum tempo, Jesus supre nossas necessidades espirituais para sempre.

Grande parte daquelas pessoas que viram tão grande sinal da multiplicação dos pães não creu em Jesus, ver necessariamente não implica em crer, é por isso que Jesus mais na frente irá dizer a Tomé que bem aventurados são aqueles que não viram e creram. Jo 20.29

Maravilhoso é que se tivermos fé em Jesus e seguirmos seus mandamentos faremos obras maiores ainda:

“Crede-me que estou no Pai, e o Pai em mim; crede-me, ao menos, por causa das mesmas obras. Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai. E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei. Se me amais, guardai os meus mandamentos. João 14:11-15”

O problema é que a nossa fé é menor do que o grão de Mostarda e sem fé é impossível agradar a Deus.

“O Justo viverá da fé porque nem só de pão vive o homem mais do toda a Palavra que sai da boca de Deus”

Que estejamos sempre nos alimentando da Palavra de Deus que Jesus nos trouxe, não entraremos mais para a Galeria dos heróis da Fé relatada no Livro de Hebreus, mas seguindo Jesus estaremos como nossos nomes escritos no Livro da Vida.

Então lança teu pão sobre as águas, invista no Reino de Deus, pregue a tempo e fora de tempo, evangelize, faça discípulos, ore, jejue, ame a Deus e ao seu próximo e terás seu galardão Naquele Dia porque Deus é galardoador dos que o Buscam.