Fideísmo, ateísmo e catolicismo

Imagem relacionada

Há uma falácia católica propagada por aí que diz que quando um neo-ateu ataca o cristianismo na verdade está atacando a fé protestante. Falácia porque o que vemos não é isso, é público e notório que os ateus atacam é a história das Cruzadas, a história da inquisição, os pecados papais, o homossexualismo dos padres, o dinheiro do Vaticano, a idolatria aos santos e etc… Mas aí os católicos dizem que isso é espantalho da fé católica! Só que são Fatos históricos que só tiveram defesa devido a um revisionismo histórico do catolicismo americano sobre esses temas que é coisa recente e que começou no Brasil com o astrólogo Olavo de Carvalho que faz isso com o objetivo de angariar fiéis para a sua seita e encontrou na idolatria católica de internet terra fértil!

Hoje umas das principais críticas desses católicos de internet que nunca nasceram de novo e que não possuem nenhum fruto a não ser frutos podres iguais a eles que xingam, bebem, fumam, mentem e se prostituem é que o fideísmo do protestantismo é que leva ao ateísmo. Dizem que o fideísmo é apenas uma espécie de sentimentalismo barato nada racional. A verdade é que o fideísmo protestante é um cristianismo alicerçado na própria fé como já diz o nome.  Os católicos dizem que o seu cristianismo é alicerçado na fé e mais ainda na razão. E essa razão seria a razão da tradição grega. Aí eu faço a seguinte pergunta: Qual razão? A platônica de Agostinho ou a aristotélica de Aquino? Sendo que ambas são contraditórias entre si.

O que é observado na história da Filosofia é uma idéia ou sistema sendo substituído por outro e por outro até que os filósofos existencialistas decretaram a morte da razão e junto com ela a morte de Deus, ou seja, pela lógica o ateísmo matou o Deus católico que é alicerçado na razão grega e não o Deus protestante que é alicerçado na fé. Jesus já alertava sobre esse tipo de alicerce:

“Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha;
E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha.
E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia;
E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda.”
Mateus 7:24-27

Outra lorota católica é que os grandes expoentes do neoateísmo como Sam Harris, Resultado de imagem para william craig imagensChristopher Hitchens, Richard Dawkins também criticam apenas o que seria um cristianismo protestante, mas o que eles não falam é que o grande combatente que mete terror nesses neoateus famosos é o mais famoso ainda apologista protestante William Lane Craig, e outros apologistas cristãos contemporâneos contra o ateísmo também são de maioria protestante como Lee Strobel, Ravi Zacharias, e Norman Geisler.

Vale ressaltar ainda que esses apologistas protestantes sabem muito bem usar a razão, (sendo muitos deles antifideístas também) para destruir argumentos do neoateismo militante ou delirante, porque não se pode confundir racionalismo grego ou filosófico com o uso do raciocínio que Deus deu a raça humana, é mentira ou exagero que o protestante seja  100% contra ao racionalismo, sabemos muito bem que o mundo é inteligível porque foi Deus que criou tanto a raça humana quanto o universo.

Dá para perceber pelas Escrituras que o maior Fideísta cristão de todos os tempos foi o próprio Apostólo Paulo, veja o que ele escreve:

“Porque Cristo enviou-me, não para batizar, mas para evangelizar; não em sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo se não faça vã.
Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus.
Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, E aniquilarei a inteligência dos inteligentes.
Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo?
Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação.
Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria;
Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos.
Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus.
Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.
Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados.
Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes;
E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são;
Para que nenhuma carne se glorie perante ele.
Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção;
Para que, como está escrito: Aquele que se gloria glorie-se no Senhor.”
1 Coríntios 1:17-31

E mais:

“E eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria.
Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado.
E eu estive convosco em fraqueza, e em temor, e em grande tremor.
E a minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder;
Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus.”
1 Coríntios 2:1-5

O próprio Jesus elevou a fé a um dos maiores poderes que o homem pode ter:

20 E Jesus lhes disse: Por causa de vossa incredulidade; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível.

Na revelação a fé só é menor do que o amor:

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.
1 Coríntios 13:13

Então a Fé é apenas algo sentimental? Vejamos o que nos diz o escritor de Hebreus:

“Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem.
Porque por ela os antigos alcançaram testemunho.
Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.”
Hebreus 11:1-3

Resultado de imagem para Fé imagens

O desprezo católico ao fideísmo é um desprezo a própria Palavra de Deus que diz que:

O justo viverá da Fé e que sem fé é impossível agradar a Deus!

Explico porque os católicos têm raiva da Fé: Primeiro porque existe a polêmica da salvação por fé e por obras, segundo porque Lutero também atacou toda a Filosofia de Aristóteles sendo que Lutero tinha todo crédito para isso, sendo ele um dos maiores entendidos na Filosofia aristotélica até os dias de hoje.

Ligando os pontos da raiva católica temos:

Resultado de imagem para lutero imagensLutero = Salvação por fé e contra Aristóteles! Então por isso os católicos endeusam a razão igual os iluministas e ainda dizem que são opostos! Nesse pacote, os católicos odeiam todos os outros pensadores, sendo teólogos ou filósofos que fazem um “elogio da loucura”, ou seja um elogio da mensagem da Cruz!

O cristianismo católico é um andrógeno, é salvação por fé e por obras, mais por obras, é um alicerce na fé e na razão, mais na razão, é desconsideração da Bíblia por uma suposta tradição, mas sempre com a mesma lorota que foram eles os guardiões da Bíblia, uma falácia que se verifica primeiro porque as Igrejas dos primeiros concílios não era a católica romana, segundo não foi a Igreja que criou os livros, apenas delimitou oficialmente o que as Comunidades já aceitavam na prática e é por isso que podemos confiar que os livros que estão na Bíblia de Zíper é a Palavra de Deus e não porque uma igreja que não permitia a leitura da mesma nas línguas locais guardou essa palavra, não é mesmo Padre Gargamel? E mesmo que fosse verdade que a Igreja católica romana tivesse dado a Bíblia ao mundo, foi o protestantismo que deu acesso a ela nas línguas locais.

A questão do protestantismo  e seu fideísmo  levar  ao ateísmo não pode ser verdade, já que o movimento ou momento filosófico atual é a chamada pós-modernidade, movimento que sepultou a razão e declarou que tudo é permitido e tudo e relativo. Movimento que ganhou força depois das 2 grandes guerras mundiais que foram a representação maior da derrocada da razão que no sonho iluminista e parece que católico iria emancipar o homem e a humanidade da barbárie, mas acabou culminando em duas bombas atômicas e agora o pós – modernismo vigora, contudo essas vãs filosofias podem até dá um baque na razão, mas nunca poderão sufocar a fé e o amor que na visão contraditória católica são sentimentos perigosos que podem levar ao ateísmo.

A verdade é que esse pensamento católico de “fé na razão” lembra muito o pensamento maçônico que visa criar uma religião racional,uma emancipação do homem através do iluminismo, das luzes que é a razão. No Concilio do Vaticano II já temos a união oficial entre igreja católica e maçonaria, catolicismo e ateísmo.

Concluindo, esse modo de cristianismo católico não leva à pratica nenhuma, não traz mudança de vida, forma apenas raivosos de internet que não demonstram frutos, que não possuem nenhum testemunho na sua rua, no seu bairro, porque não há conversão, não há novo nascimento nesse tipo de religião, são pessoas que se dizem religiosas mas continuam bebendo, fumando, xingando e se prostituindo, diferente do irmãozinho protestante humilde que não conhece Aristóteles ou Platão, mas que todo mundo percebeu sua mudança de vida na comunidade, porque antes roubava, mentia, traficava, se prostitui-a, mas agora pela fé aceitou Jesus como Senhor e Salvador da sua vida e produz muitos bons frutos através de seu testemunho.

Anúncios

Denzel Washington fala sobre a sua fé!

Resultado de imagem para denzel washington eli imagens

O ator norte-americano Denzel Washington que está divulgando seu no filme intitulado “Cercas” tem falado também muito sobre sua fé! Eles nos conta que já possui muitos bens materiais e agora viverá para servir a Deus e a sua família! No seu testemunho ele conta também que foi batizando no Espírito Santo ainda muito jovem! Assistam!

Veja também:

Nove entre dez brasileiros atribuem a Deus sucesso financeiro

Imagem relacionada

Por Tiago Abreu / GospelPrime

Segundo Datafolha, até ateus creditam ao Criador sucesso nas finanças

O Datafolha, instituto de pesquisas pertencente ao Grupo Folha, realizou uma pesquisa com mais de 2 mil brasileiros em 174 municípios, acerca da relação entre a fé e o sucesso financeiro.

Os resultados, divulgados pelo jornal Folha de S.Paulo, apontam que nove entre cada 10 brasileiros concordam com a frase “Todo o sucesso financeiro da minha vida eu devo, em primeiro lugar, a Deus”, utilizada na pesquisa. Relacionadas:

https://exateus.com/2016/10/01/estudo-mostra-que-evangelicos-nao-conhecem-sua-fe/

https://exateus.com/2016/09/14/a-diferenca-que-a-biblia-faz-na-vida-dos-jovens/

https://exateus.com/2015/09/16/quantos-cientistas-creem-em-deus/

https://exateus.com/2015/12/11/estudo-mundial-mostra-relacao-entre-religiao-e-ciencia/

Os índices foram altos em vários grupos. Entre os religiosos, a concordância com a afirmação superou mais de 90% das respostas. 70% dos que se declararam sem-religião, por sua vez, também concordam de que a questão econômica tem relação direta com a fé.

O dado mais curioso, no entanto, foi que, do grupo dos ateus, ou de pessoas que declararam não acreditar em Deus, dos que se declaram sem-religião, 23% concorda com a frase de que a vitória no campo financeiro deve-se a Deus.

Com base nos resultados do estudo, foi considerado que quanto menor é a renda e a escolaridade, maior são as chances de um indivíduo concordar com a frase utilizada pelo Datafolha.

Em contrapartida, o nível de concordância entre pessoas com formação superior também foi alto: 77% dos indivíduos com alguma espécie de graduação concordam com o impacto divino nas questões econômicas, assim como sete entre 10 pessoas com renda acima de dez salários mínimos.

A frase “As pessoas pobres, em geral, não têm fé em Deus, e por isso não conseguem sair dessa situação”, no entanto, alcançou resultados mais díspares. O nível de concordância atingiu níveis maiores entre populações mais pobres e dentre os de renda mais alta, a frase não alcançou sinais de consenso.

Da mesma forma, as origens da pobreza é questão de motivos diferentes entre católicos e protestantes. Segundo o Datafolha, evangélicos costumam acreditar mais que a pobreza é motivada pela falta de fé.

Estudo mostra que evangélicos não conhecem sua fé

Resultado de imagem para bíblia imagens

Por Jarbas Aragão / GospelPrime

Eu já tinha escrito sobre a instabilidade dos jovens quanto à sua fé. A mentalidade pós-moderna está penetrando na religião cristã e cria uma doutrina religiosa pluralista que diz que “todos os caminhos levam a Deus” e que toda religião se equivale, no entanto, isso não é “verdade”, vejamos:

https://exateus.com/2016/01/26/o-pos-modernismo-e-uma-filosofia-contraditoria-covarde/

https://exateus.com/2016/08/19/todas-as-religioes-sao-verdadeiras-sendo-assim-todas-levam-a-deus/

https://exateus.com/2016/09/14/a-diferenca-que-a-biblia-faz-na-vida-dos-jovens/

https://exateus.com/2015/06/16/resposta-a-5a-objecao-e-ofensivo-afirmar-que-jesus-e-o-unico-caminho-para-deus/

https://exateus.com/2016/08/14/religiao-e-so-uma-questao-de-fe-nao-e-bem-assim/

Sobre as crenças das denominações dê uma olhada:

https://exateus.com/2016/09/28/os-tipos-de-cristaos-suas-fraquezas-e-seus-acertos/

https://exateus.com/2016/09/27/charles-finney-o-homem-que-redefiniu-o-carater-dos-estados-unidos/

Segue a reportagem:

O quanto um evangélico médio conhece sobre a doutrina cristã básica? Na tentativa de responder a esta questão, o Instituto LifeWay Research e os ministérios Ligonier fizeram uma análise da percepção teológica com 3.000 cristãos adultos, de diferentes denominações.

Foram apresentadas 47 declarações sobre teologia e eles precisavam dizer “concordo”, “discordo” ou “não sei”. Os assuntos iam desde a divindade de Cristo até a importância de se frequentar uma igreja regularmente.

Inquirição similar foi feita dois anos atrás pelos mesmos ministérios, que constataram que não houve uma mudança significativa desde então. Cerca de dois terços (64%) dos evangélicos norte-americanos dizem que Deus aceita igualmente a adoração de cristãos, judeus e muçulmanos.

Um percentual pouco maior (65%) concordou totalmente ou parcialmente que há só um Deus verdadeiro, que ele é perfeito, e que ele ainda responde às orações (66%).

Embora o conceito do que é um “evangélico” possa variar muito, apenas 586 dos entrevistados concordaram que a Bíblia é a maior autoridade para a fé cristã, o evangelismo pessoal é muito importante, a morte de Jesus na cruz foi a única maneira de cancelar a penalidade do pecado e que é preciso crer em Jesus como único caminho para a salvação eterna. Os demais não aceitam todas essas declarações como verdadeiras.

Os resultados finais da pesquisa mostram que existe muita confusão sobre conceitos elementares da confissão de fé básica do cristianismo ao longo dos séculos. Em outros tempos, fazer tais afirmações seria suficiente para que a pessoa fosse considerada um “herege” e não pudesse mais ser contada entre os membros da igreja local.

Em especial nas declarações sobre Jesus ser completamente divino, o Espírito Santo não ser percebido como pessoa, e que a salvação depende de um esforço dos seres humanos.

Praticamente todos os evangélicos entrevistados concordaram que existe um verdadeiro Deus que subsiste em três pessoas (97%), que ele é perfeito (97%), e que responde às orações (94%). Contudo, o percentual de dúvida sobe drasticamente quando se pergunta sobre a natureza de Jesus. Sete em cada 10 dizem que ele foi a primeira e maior criação de Deus (71%).

Esse tipo de debate no início da era da Igreja criou a necessidade de se fazerem concílios, consultas formais com autoridades eclesiásticas para se tomar decisões que seriam normativas. Por exemplo, a questão da ‘origem’ de Jesus foi encerrada no ano 325, com o Credo Niceno, o qual afirma que Jesus “gerado unigênito do Pai, isto é, da substância do Pai”.

A crença de que Jesus foi criado e não é Deus chama-se Arianismo, por causa do padre Ário, que viveu no século IV e argumentava a partir de alguns versículos da Bíblia a ideia de Trindade. Esse pensamento subsiste até hoje em seitas como os Testemunhas de Jeová.

Quando se fala sobre o Espírito Santo ser uma força e não uma pessoa também comete-se um erro básico de entendimento da doutrina da Trindade. Essa questão foi encerrada no Concílio de Constantinopla, em 381, que gerou adições ao Credo Niceno para esclarecer a questão.

A fórmula do “Credo”, recitada em muitas igrejas católicas e evangélicas mais tradicionais mantém uma tradição milenar de instrução dos cristãos em todos os cultos.

Entretanto, não existem apenas dúvidas quanto a natureza divina. Com um forte apelo para a salvação da alma nos cultos, os evangélicos nem sempre compreendem de modo aprofundado o que envolve o famoso “aceitar a Jesus”.

O Livro de Romanos aborda vários aspectos do que acontece quando alguém deseja se converter. Mesmo assim as Igrejas ainda divergem sobre o papel que o homem tem nesse processo. Muito antes das controvérsias entre calvinistas e presentes em muitas denominações até hoje, no século V um monge chamado Pelágio ensinava que as pessoas podem escolher a Deus por sua própria vontade.

Esse pensamento foi combatido e condenado nos Conselhos de Cartago (em 418) e Éfeso (em 431). Uma versão mais suave de seis ensinamentos rejeitados categoricamente pelo Conselho de Orange, em 529.

A resposta sincera de um ateu sobre a 2ª Lei da Termodinâmica

Resultado de imagem para termodinâmica imagens

A 2ª Lei da Termodinâmica também é conhecida como lei da entropia, que diz que com o tempo as coisas naturalmente se desfazem. Seguindo esse aspecto da lei, podemos perceber que o Universo teve um começo, pois a desordem do mesmo, indica uma ordem original. Uma vez que ainda se tem energia utilizável, o Universo não pode ser eterno, porque, se fosse, teríamos chegado na completa desordem (entropia) no presente.

Mais aqui:

https://exateus.com/2015/08/28/a-segunda-lei-da-termodinamica-e-o-comeco-do-universo

Norman Geisler (famoso apologista cristão) nos informa que em uma conversa informal com um professor de física que se declarava cético em relação ao começo do Universo  e materialista, fez a seguinte pergunta, seguindo o diálogo:

– Se a matéria é eterna, então o que você faz com a segunda lei? – perguntou ele ao professor!

– Toda lei tem uma exceção. Essa é a minha exceção.

– Se tudo é material – perguntou – então o que é a teoria científica? Além do mais, toda teoria sobre qualquer coisa material não é material; não é feita de moléculas.

– Sem hesitar por um momento, ele disse com certa ironia:

– A teoria é mágica.

– Mágica? – repetiu, Norman, não acreditando naquilo que estava ouvindo – Qual a base para você dizer isso?

– Fé – respondeu ele imediatamente.

“Fé na mágica”? Pensei comigo mesmo. “Se a fé na mágica é a melhor coisa que os materialistas têm a oferecer, então eu não tenho fé suficiente para ser materialista”!

O professor foi sincero, sabia que não poderia responder à fortíssima comprovação que apóia a segunda lei e, então, admitiu que sua posição não tinha base na comprovação ou na razão. Ao agir assim, ele deu mais um exemplo da falta de disposição em acreditar naquilo que a mente julga como verdadeiro e de como a visão dos ateus é baseada apenas na fé.

Referência

Não tenho fé suficiente para ser ateu. Norman Geisler & Frank Turek

A Fé do ateu precisa ser maior do que a do crente:

  1. As evidências científicas confirmam claramente que o Universo passou a existir de uma explosão surgida do nada. Deus criou algo do nada (visão cristã) ou ninguém criou alguma coisa do nada (visão ateísta) Qual visão é mais plausível? A visão crista. Qual visão exige mais fé? A visão ateísta.
  2. A forma de vida mais simples possui uma quantidade de informações equivalente a mil enciclopédias. Os cristãos acreditam que Deus criou uma forma de vida simples equivalente a mil enciclopédias. Os ateus acreditam que forças naturais não inteligentes agindo ao acaso originou as primeiras formas de vida. Uma vez que falta evidência para a suposição ateia, sua crença exige muito mais fé.
  3. Centenas de anos antes, escritos antigos predisseram a vinda de um homem que seria verdadeiramente Deus. Esse homem-Deus, segundo as escrituras, nasceria em Belém de Judá, da descendência do Rei Davi, sofreria de uma maneira característica, morreria em um tempo determinado e ressuscitaria dos mortos para expiar os pecados do mundo. Após todo o acontecido, várias testemunhas proclamaram e registraram que aqueles fatos preditos haviam realmente acontecido. Essas testemunhas oculares (discípulos) suportaram perseguição e morte, embora pudessem simplesmente negar os fatos e preservar a vida. Milhares de pessoas em Jerusalém converteram-se depois de ver e ouvir esses fatos, e essa fé rapidamente se espalhou pelo mundo antigo. Historiadores e escritores antigos fazem menção a esse fato, e a arqueologia corrobora com todos eles. Ateus precisam de muita mais fé para invalidar as profecias, as testemunhas oculares, a disposição dos apóstolos em sofrer e morrer, a origem da igreja cristã, o testemunho de outros escritores, e de achados arqueológicos.

Referência

Eu não tenho fé suficiente para ser ateu. Norman Geisler & Frank Turek

Religião é só uma questão de fé? Não é bem assim!

A afirmação de que a religião é simplesmente uma questão de fé é apenas mais um mito moderno. Embora a religião requeira fé, religião não está ligada somente a fé. Os fatos também são fundamentais para todas as religiões, incluindo o ateísmo, e muitos desses fatos podem ser verificados por meio de investigação científica e histórica.

As principais religiões monoteístas (cristianismo, islamismo e judaísmo) afirmam que o Universo teve um começo, enquanto muitos ateus e panteístas (budismo e hinduísmo) dizem que o Universo é eterno. Essas afirmações são mutuamente excludentes. Um dos grupos citados está com a razão.

A famosa ressurreição de Cristo é outro exemplo. Os cristãos afirmam que Jesus ressuscitou ao terceiro dia de sua morte, enquanto os muçulmanos dizem que Jesus nem mesmo morreu. Mais uma vez têm-se aqui duas visões mutuamente excludentes. Como podemos saber qual delas é a correta? Avaliando à comprovação histórica de cada uma dessas afirmações.

A ciência também acaba abordando os mesmos assuntos religiosos, exemplos: De onde veio o Universo? Como surgiu a vida? Os milagres são possíveis? Em outras palavras, ciência e religião não são categorias opostas como muitos sugerem.

Logicamente, nem todas as afirmações religiosas podem ser comprovadas científica e historicamente. Todavia, a validade de muitas crenças religiosas pode ser verificada e provada com um alto grau de certeza.

Referência

Não tenho fé suficiente para ser ateu. Norman Geisler & Frank Turek